Facebook altera nome de sua empresa-mãe para Meta

Facebook altera nome de sua empresa-mãe para Meta

Mark Zuckerberg, diretor-executivo do Facebook, anunciou ontem que a empresa-mãe da companhia passará chamar-se Meta para representar melhor todas as suas atividades. O nome de seus vários aplicativos vá ser mantido

Facebook mudou o nome da empresa-mãe. A mudança ocorre em um momento em que a gigante das redes sociais tenta se defender de uma de suas piores crises e, ao mesmo tempo, orienta suas ambições para a versão de realidade virtual “metaverso”, que considera o futuro. 

Facebook, Instagram e WhatsApp manterão seus nomes na nova denominação do grupo. 

“Aprendemos muito ao enfrentar questões sociais e viver em plataformas fechadas, agora chegou a hora de pegarmos tudo o que aprendemos e ajudar a construir o próximo capítulo”, disse Zuckerberg durante uma conferência anual de desenvolvedores. 

“Estou orgulhoso de anunciar que a partir de hoje, nossa empresa é Meta. Nossa missão continua sendo a mesma, conectar as pessoas, e nossos aplicativos e marcas não vão mudar”, acrescentou. 

Críticos do Facebook divulgaram informes na semana passada segundo os quais a troca de nome visava a distrair a atenção dos recentes escândalos e polêmicas que têm a rede social no centro. 

Um grupo que se autodenomina “A verdadeira junta de supervisão do Facebook” alertou que grandes corporações, como por exemplo companhias petroleiras e de tabaco, mudam de nome para “desviar a atenção” de seus problemas. 

Facebook muda nome da empresa-mãe e “acredita que mudar de nome os ajudará a mudar de assunto”, alertou o grupo na semana passada, acrescentando que o “verdadeiro problema” é a necessidade de supervisão e regulamentação. 

O Facebook anunciou há dez dias planos para contratar 10.000 pessoas na União Europeia para desenvolver o “metaverso”, com Zuckerberg se colocando na vanguarda da promoção deste conceito. 

Momento de crise

O Facebook luta contra uma nova crise desde que sua ex-funcionária Frances Haugen vazou estudos internos mostrando que os executivos sabiam do potencial dano que seus aplicativos causam sobretudo nos mais jovens, o que provocou um novo impulso nos Estados Unidos para regulamentar as atividades na web. 

A rede social já tinha sofrido outras grandes crises, mas sua visão atual alimentou um frenesi de artigos mordazes e o escrutínio dos reguladores americanos. 

“As críticas de boa fé nos ajudam a melhorar, mas na minha opinião, o que vemos é um esforço coordenado para usar seletivamente documentos vazados para criar uma imagem falsa da nossa empresa”, disse Zuckerberg na segunda-feira. 

O jornal The Washington Post sugeriu no mês passado que o interesse do Facebook no metaverso é “parte de um impulso maior para reabilitar a reputação da companhia com os legisladores e reposicionar o Facebook para dar forma à regulação das tecnologias da Internet”. 

A Google se renomeou de Alphabet em uma reconfiguração corporativa em 2015, mas seu motor de buscas e a publicidade online continuam sendo sua unidade-chave, apesar de ter se lançado em outras operações, como o desenvolvimento de carros autônomos Waymo e a unidade científica Verily. 

Related posts
MundoSociedade

Facebook desmantela redes de desinformação vinculadas à Covid

MundoSociedade

EUA e México com programa de desenvolvimento da América Central

MundoSociedade

Biden acredita que fim da transmissão do HIV está 'ao alcance'

Lifestyle

Espada que Napoleão usou no golpe de Estado de 1799 será leiloada

Assine nossa Newsletter