“Não pode haver cultura de arbitragem se não existirem casos” - Plataforma Media

“Não pode haver cultura de arbitragem se não existirem casos”

Fernando Dias Simões tem sido uma das vozes que mais se tem ouvido propondo Macau como um centro de arbitragem com foco no relacionamento entre a China e os Países de Língua Portuguesa. Sete anos após ter chegado a Macau, o docente de Direito trocou este mês a Universidade de Macau pela Universidade Chinesa de Hong Kong onde planeia continuar a estudar a arbitragem comercial e de investimento, desta vez num dos principais pólos de arbitragem do mundo.

Em Macau, a nova lei de arbitragem é um passo importante, mas é preciso criar uma cultura de arbitragem e para isso é preciso ir mais longe, com determinação, defende.

Leia mais em Plataforma Media.

José Carlos Matias 11.01.2019

Este artigo está disponível em: 繁體中文

Related posts
Opinião

Liberalismo selvagem

Opinião

A Carne De Porco É Cara? Criemos Porcos!

Opinião

Pedido de Compensação Americano Terá Lugar Amanhã

Opinião

O caminho da montanha

Assine nossa Newsletter