A REELEIÇÃO NA IMPRENSA - Plataforma Media

A REELEIÇÃO NA IMPRENSA

 

A reeleição de Chui Sai On foi vista de diferentes formas pela imprensa internacional, que, no entanto, coincidiu na conclusão de que o chefe do executivo vai enfrentar tempos difíceis

 

SOUTH MORNING POST

Apesar de Fernando Chui Sai-On ter sido reeleito chefe do executivo com 380 dos 396 votos expressos pelos membros do Colégio Eleitoral, o seu governo paternalista enfrenta desafios assustadores nos próximos cinco anos. Primeiro, e mais importante, o seu “novo” governo tem que enfrentar com maior decisão questões ligadas ao modo de vida. Enquanto os residentes e turistas se queixam da ausência de transportes públicos decentes, os empregados locais dos casinos e os cidadãos manifestam descontentamento com as dificuldades em se candidatarem a uma habitação pública.

 

THE WALL STREET JOURNAL

Um comité de 400 leais a Pequim “reelegeu” o chefe do executivo de Macau com 95% dos seus votos. Ele concorreu sem oposição, já que o mesmo comité era também responsável pela escolha dos candidatos.

Os cidadãos de Macau costumavam interessar-se menos pela política do que os seus primos de Hong Kong, mas isso está a mudar.

 

MANILA TIMES

Macau reelegeu o seu atual líder numa eleição sem concorrência, no domingo, numa altura em que o enclave-casino enfrenta crescentes apelos à democracia, por entre a ira perante a deterioração das condições de vida e da credibilidade do governo. O único candidato na próspera cidade, Fernando Chui, foi eleito para um segundo mandato com 95% dos votos de um comité de 400 pessoas pró-Pequim, numa eleição descrita como “ridícula” pelos ativistas pró-democráticos.

 

REUTEURS

Chui voltou ao poder eleito por um seleto painel de 400 leais à China na pequena mas rica antiga colónia portuguesa.

Os líderes de Macau têm adotado uma postura mais dura do que na vizinha Hong Kong, onde os ativistas pró-democracia têm lutado pelo sufrágio universal.

 

CHANNEL NEW ASIA

O líder de Macau, Fernando Chui, está absolutamente ciente  das queixas e das questões. Ele prometeu que a prioridade da sua administração neste segundo mandato seria a habitação adequada e em conta, bem como maior credibilidade e transparência, e  assegurar que haverá uma consulta pública sobre toda a lei importante que vá ao parlamento. Mas analistas esperam um duro trabalho pela frente.

 

 

Este artigo está disponível em: 繁體中文

Assine nossa Newsletter