A China ainda se encontra na fase preliminar do socialismo - Plataforma Media

A China ainda se encontra na fase preliminar do socialismo

A ideia de uma “nova era do socialismo com características chinesas”, referida por Xi Jinping no relatório do 19º Congresso, é algo muito importante, pois é esta a teoria que estará por trás do desenvolvimento do Partido Comunista Chinês nos dez próximos anos. Se não existir uma teoria bem fundamentada, ou uma boa base ideológica, não existe forma de promover o desenvolvimento nem de determinar as tendências de desenvolvimento do país. A passagem de um país da sua atualidade para o seu desenvolvimento futuro começa na teoria – esta é uma regra básica. Se esta base não for estabelecida de forma firme, então nem vale a pena falar no futuro, pois irão ocorrer mudanças de direção e problemas nas medidas de desenvolvimento. Por isso, primeiro é necessário criar uma base ideológica forte.

No desenvolvimento do marxismo e leninismo, o que mais se destacou foram as contradições. As contradições são uma força muito importante para o desenvolvimento de humanidade, mas como devemos encará-las? Segundo o filósofo ocidental Hegel, a partir da oposição de dois lados contraditórios nasce algo novo. Quando Marx e Lenine seguiam o materialismo, ou seja, avançavam na dialética dessa filosofia, aperceberam-se de que os tempos haviam mudado e, por isso, aquando da revolução de Mao na China, o que o líder chinês queria combater eram as forças que se opunham. Quais forças? As ideologias ocidentais, os capitalistas e grandes proprietários. As pessoas aperceberam-se de que os trabalhadores do campo precisavam de mudança, os operários queriam fortalecer-se – essa foi a primeira fase.

Chegada a era de Deng Xiaoping, entrámos numa altura de desenvolvimento para o país, estando presentes as questões antagónicas de aumentar ou não a produtividade, e a diferença entre pobre e ricos. Por isso, a reforma económica chinesa era o principal eixo da ideologia de Deng Xiaoping. O objetivo era resolver os problemas de desigualdade e contraste no desenvolvimento da sociedade. Desta forma, foi evocada uma consciencialização direcionada para a produção entre a população, resultando num enorme salto de produtividade.

A China passou por um processo de quase 40 anos de desenvolvimento, e hoje encontra-se já numa nova etapa. Nesta nova fase, a grande maioria da população chinesa não só tem preenchidas as necessidades básicas, como na realidade já atingiu um nível de relativa prosperidade (esta não é uma prosperidade comparável com a do Ocidente ou do Japão, mas apenas um estado de prosperidade relativamente ao passado), ou seja, em termos materiais a oferta é abundante. Contudo, as exigências de qualidade de vida por parte da população passaram de exigências quantitativas de produção para exigências qualitativas, e este é o contraste atual. Para resolver este novo contraste social é preciso consciencializar toda a população de que embora a China já tenha entrado numa nova era, esta ainda se encontra na fase preliminar do socialismo. Ainda há um longo caminho a percorrer até que o socialismo pleno se torne realidade. 

DAVID Chan

Este artigo está disponível em: 繁體中文

Assine nossa Newsletter