DILMA ROUSSEFF REELEITA PRESIDENTE DO BRASIL - Plataforma Media

DILMA ROUSSEFF REELEITA PRESIDENTE DO BRASIL

 

Dilma Vana Rousseff (PT), 66 anos, foi reeleita Presidente do Brasil, na segunda volta, no último domingo. A candidata do Partido dos Trabalhadores (PT) somou 51,64% (54.499.901 votos) dos votos válidos contra 48,36% (51.041.010 votos) de Aécio Neves (Partido da Social Democracia Brasileira, PSDB). A diferença  entre os candidatos foi de 3.458.891 votos. As abstenções somaram 21,10%, um total de 30.137.165 votos.

Dilma concorreu apoiada por uma ampla aliança política que compôs a coligação “Com a Força do Povo”, formada por PT, PMDB, PSD, PP, PR, PROS, PDT, PC do B e PRB.

O vice de Dilma, Michel Temer, é o mesmo do primeiro mandato e foi indicado pelo PMDB. Durante a campanha, Dilma Rousseff não apresentou um programa de governo detalhado, apenas diretrizes obrigatórias segundo regras do TSE.

O estado de Minas Gerais, reduto eleitoral do candidato Aécio Neves (Partido da Social Democracia Brasileira), e o nordeste brasileiro foram as localidades em que o bom desempenho da Presidente reeleita Dilma Rousseff (Partido dos Trabalhadores) garantiu sua vitória.

Tanto Aécio Neves, de centro-direita, como Dilma Rousseff, de centro-esquerda, concentraram parte de sua campanha para a segunda volta em Minas Gerais, o segundo estado mais populoso do Brasil e que costuma ser chave para as eleições presidenciais. O social-democrata, que foi governador local, não conseguiu reverter a desvantagem da primeira volta e acabou com 47,5% dos votos no estado, enquanto Rousseff obteve 52,4%.

Na região nordeste, que já costuma ser eleitora do Partido dos Trabalhadores, Rousseff aumentou sua vantagem e chegou a 70,8% dos votos válidos. As outras regiões do país seguiram a tendência da primeira volta, com o norte apoiando a presidente reeleita e o sul, o sudeste e o centro-oeste, optando por Neves.

A segunda volta das eleições do país ocorreu neste domingo, e os brasileiros reelegeram Rousseff, com 51,6% dos votos válidos. Aécio Neves teve 48,3% dos votos, e reconheceu a derrota em ligação telefônica para a adversária e em discurso.

Nas eleições para o governo dos estados, os partidos coligados ao governo de Rousseff na esfera federal levaram vantagem, elegendo 17 de 27 chefes de Executivo.

Entretanto, em alguns deles, os candidatos do Partido dos Trabalhadores sofreram duras derrotas para o candidato de aliados que concorreram independentemente em nível local, como no Rio Grande do Sul, vencido pelo Partido do Movimento Democrático Nacional (PMDB).

Comparando-se o número de governadores eleitos em 2014 com os deste ano, o partido que mais cresceu foi o PMDB (principal aliado do PT em nível federal), que passou de cinco para oito eleitos. O PT, de Rousseff, manteve o comando de cinco Estados e o PSDB, de Aécio Neves, reduziu seu número de governadores de oito para cinco.

Uma das perdas dos sociais-democratas foi Minas Gerais, o segundo maior colégio eleitoral do Brasil. Entretanto, como continuam governando São Paulo, o estado mais populoso, o PSDB mantem-se como o partido com o maior número de eleitores sob seu governo.

Este artigo está disponível em: 繁體中文

Artigos relacionados
Opinião

Liberalismo selvagem

Opinião

A Carne De Porco É Cara? Criemos Porcos!

Opinião

Pedido de Compensação Americano Terá Lugar Amanhã

Opinião

O caminho da montanha

Assine nossa Newsletter