Covid-19: Berlim usa obscenidade para quem se recusa a usar máscara - Plataforma Media

Covid-19: Berlim usa obscenidade para quem se recusa a usar máscara

Campanha publicitária lançada na capital alemã mostra idosa a fazer o gesto com o dedo do meio. Mas nem todos acharam engraçado.

Berlim divulgou uma provocativa campanha publicitária para estimular o uso de máscaras, numa altura em que a Alemanha bate recordes no número de infetados com o novo coronavírus. Um poster, espalhado pela cidade, mostra uma idosa a usar a proteção facial ao mesmo tempo que exibe o dedo médio para aqueles que não seguem as regras de combate à pandemia de Covid-19.

Junto à imagem da idosa, pode ler-se, em tom irónico: “O dedo indicador levantado é para todos sem máscara”. Numa outra legenda lê-se também: “Nós cumprimos as regras contra o coronavírus”. A campanha foi lançada na semana passada e trata-se de um projeto conjunto do Departamento de Economia do Senado de Berlim e da empresa de marketing turístico Visit Berlin.

O anúncio, publicado inicialmente num jornal local, espalhou-se, de imediato, pelas redes sociais. Provocou elogios, mas também críticas ferozes nas redes sociais, com alguns comentários negativos. 

“É uma imagem provocadora”, admitiu Christian Taenzler, porta-voz da organização Visit Berlin. “Queríamos, efetivamente, chamar a atenção para este problema que, segundo Tänzler, segue o humor distinto de Berlim. “Os berlinenses são muito conhecidos plea sua comunicação direta”, assume.

A idosa da imagem, que pertence a um grupo de risco por causa da idade, está a mostrar o dedo do meio porque a sua saúde corre risco por causa daqueles que não seguem as regras, explica a organização. Nos últimos meses, Berlim foi palco de várias manifestações “anticoronavírus”. 

Apesar do sucesso da campanha, Marcel Luthe, um membro do Senado de Berlim, afirmou que apresentou uma reclamação formal sobre o anúncio, defendendo que incita o ódio contra todos aqueles que não podem usar máscara, como crianças pequenas e pessoas com problemas de saúde.

O editor-chefe de do jornal Tagesspiegel, Lorenz Maroldt, também apontou que a campanha é de mau gosto. “De alguma forma, a aplicação dos regulamentos anticoronavírus não funcionou em Berlim. E agora, estão a tentar insultar o público”, escreveu no Twitter.

Artigos relacionados
EconomiaPortugal

Três mil milhões de euros chegam amanhã a Portugal vindos da Comissão Europeia

PortugalSociedade

Portugal com mais 78 mortes e 3262 novos casos de Covid-19

MundoSociedade

Gales proíbe venda de álcool em bares e restaurantes contra o coronavírus

MundoSociedade

Moderna confirma eficácia e pede já uso de emergência da vacina

Assine nossa Newsletter