Investir na natureza e na biodiversidade pode ajudar a enfrentar crises climáticas - Plataforma Media

Investir na natureza e na biodiversidade pode ajudar a enfrentar crises climáticas

A crise criada pela Covid-19 é um lembrete gritante das consequências devastadoras de negligenciar os riscos biofísicos para o bem-estar humano, negócios e economias

Este mês, líderes mundiais e especialistas reuniram-se na Assembleia Geral das Nações Unidas (ONU). A conferência enfatizou a necessidade de salvaguardar a natureza e impulsionar o desenvolvimento do Quadro de Biodiversidade pós-2020. No ano passado, a Cimeira das Nações Unidas sobre o Clima também focou-se na emergência climática.

Assim como nossas sociedades e economias estão inextricavelmente ligadas e dependentes da biodiversidade, a perda da natureza e as mudanças climáticas também estão relacionadas – e grandes benefícios para as pessoas e para o planeta podem ser alcançados se forem enfrentados juntos. A pandemia de Covid-19 revelou-se crucial para uma mudança fundamental para economias de valor líquido zero e positivas para a natureza.

Devemos agarrar urgente e deliberadamente a janela de oportunidade que está estreitando-se para evitar tais crises no futuro, defende o Fórum Económico Mundial (FEM).

À medida que atingimos pontos de inflexão irreversíveis para a natureza e o clima. Mais da metade do PIB mundial é moderada ou altamente dependente da natureza e, em 2020, o FEM classificou as mudanças climáticas como o maior risco para as economias e para as sociedades.

A salvaguarda dos ecossistemas naturais é crucial se quisermos cumprir as metas de biodiversidade e climáticas. Parar o desmatamento e restaurar florestas, por exemplo, é uma das melhores opções disponíveis para deter as mudanças climáticas; também traz grandes benefícios para a biodiversidade. Esses cenários onde todos ganham são fundamentais para soluções baseadas na natureza e soluções climáticas naturais.

Soluções baseadas na natureza estão a ganhar popularidade entre governos e empresas para lidar com ameaças ambientais e resolver problemas sociais protegendo, restaurando e gerenciando ecossistemas de maneira sustentável. São também uma ferramenta poderosa contra as mudanças climáticas e podem fornecer 37% da mitigação de CO2 com boa relação custo-benefício necessária até 2030 para ficar abaixo de 2° C de aquecimento global. As soluções climáticas naturais estão relacionadas, mas têm o objetivo específico de reduzir as emissões de carbono e aumentar o estoque de carbono em ecossistemas naturais, como florestas e pântanos.

A forma como os esforços de descarbonização são planeados pode ajudar ou dificultar a reversão da perda de natureza. Para atingir os objetivos climáticos, estima-se que a energia eólica e a solar devem fornecer quase toda a nova capacidade de geração de eletricidade entre agora e 2040. No entanto, o desenvolvimento de tais tecnologias pode representar um risco para os ecossistemas naturais críticos se não for projetado com a natureza em mente. Vastas áreas terrestres e marítimas serão necessárias para a transição para a energia renovável e, segundo algumas estimativas, a produção de alguns metais precisará aumentar 12 vezes até 2050, a fim de cumprir as metas climáticas do Acordo de Paris.

Este artigo está disponível em: English 繁體中文

Related posts
China

Alemanha e China intensificam cooperação sobre alterações climáticas

Mundo

Indicadores e impactos das alterações climáticas agravam-se em 2020

MundoPolítica

Biden compromete-se a reduzir emissões dos EUA para metade esta década

Portugal

Um radar que apanha tudo do ar. Sensores ambientais vão informar sobre poluição e ruído em Lisboa

Assine nossa Newsletter