Aumento da violência contra indígenas no Brasil preocupa AI

Aumento da violência contra indígenas no Brasil preocupa AI

A organização defensora de direitos humanos Amnistia Internacional (AI) expressou ontem a sua preocupação com o aumento da violência e perseguição contra várias comunidades indígenas no Brasil em novembro

Apenas nas duas primeiras semanas do corrente mês registaram-se homicídios, ameaças e perseguições a lideranças indígenas e até uso excessivo de força por parte da Polícia contra povos nativos.

A AI informou, em comunicado, que entre os dias 01 e 16 de novembro garimpeiros [extratores ilegais de metais e pedras preciosas] mataram a tiro dois indígenas da etnia Yanomami; a Polícia Militar de Roraima fez uso excessivo de força contra a comunidade Tabatinga, na Terra Indígena Raposa Serra do Sol, e a etnia Guaraní Kaiowá, no Mato Grosso do Sul, foi vítima de ataques e incêndios.

A organização também condenou uma série de perseguições que as líderes indígenas Alessandra Munduruku, Txai Suruí e Glicéria Tupinambá estão a sofrer após regressarem da 26.ª cimeira das Nações Unidas sobre alterações climáticas (COP26), onde denunciaram os abusos e as desigualdades que os povos indígenas no Brasil enfrentam.

Segundo a AI, os ataques aos povos indígenas são “alimentados” por uma política contra o meio ambiente e direitos humanos, onde os poderes públicos “culpam, criminalizam e perseguem” defensores dos direitos humanos e comunidades que se organizam em defesa dos seus territórios.

“As violações dos direitos dos povos indígenas, embora históricas e sistémicas, vêm-se agravando como consequência das ações e omissões do Estado brasileiro em cumprir o seu papel constitucional de garantia de direitos”, afirmou a AI em nota.

A organização lembrou que o Estado brasileiro tem a obrigação de garantir a proteção dos povos indígenas e deve atuar para conter a onda de violência que se vem registado nos seus territórios e organizações.

“A Amnistia Internacional Brasil estará atenta a qualquer indicativo de que as forças policiais utilizem da força excessiva em territórios indígenas. E também a qualquer violação dos direitos humanos perpetrada por agentes públicos ou privados contra comunidades e lideranças indígenas”, frisou a organização.

Related posts
MundoPolítica

Governos usaram pandemia para reprimir liberdade de expressão

BrasilPolítica

STF suspende julgamento sobre demarcação de terras indígenas

BrasilPolítica

Bolsonaro pede ao Supremo para não entregar Brasil aos Índios

EconomiaMundo

Satélites ajudam indígenas a reduzir o desmatamento na Amazónia peruana

Assine nossa Newsletter