Coloane, a ilha divina de Macau - Plataforma Media

Coloane, a ilha divina de Macau

Quando pensamos em Coloane, que imagem nos vem à cabeça? Praia? Piratas? Pastel de nata? Café artesanal? Acredito, porém, que nenhum dos leitores se lembrará de Tam Kong, Hung Shing Tai Wong ou Kun Iam Tong. Todos estas divindades são veneradas em Coloane. Podemos até dizer que em tempos não havia ninguém na região que não as conhecesse. Infelizmente, agora os seus nomes são menos ilustres. Numa primeira análise à “A ilha divina de Macau”, iremos focar-nos em Coloane, tomando a ilha como ponto de partida para explorar as crenças populares de Macau.   

De acordo com dados disponibilizados pelo Governo local, entre 1950 e 1960, a população de Coloane flutuou entre os 2,254 e os 2,767, enquanto a população na península de Macau rondava entre os 153,640 e os 166,544. A população de Coloane (na altura maior que a península de Macau) representava apenas 1 por cento da população total de Macau. No entanto, existem oito templos chineses espalhados por Coloane. Apesar de uma densidade populacional baixa, o seu número de divindades é alto.  

No centro urbano de Coloane temos o Templo Sam Seng, o Antigo Templo de Kun Iam, o Templo de Tin Hau e o Templo de Tam Kong. Em Ká Hó estão o Pagode de Sam Seng, o Templo Tou Tei e o Templo de Kun Iam Tong. Por último, em Hác Sá encontra-se o Templo de Tai Wong. Segundo o panfleto informativo “Visitas a Templos”, o primeiro a ser construído foi o Templo de Tin Hau (1763) e o último foi o Templo de Tai Wong (1902), não havendo dados disponíveis sobre o Templo Tou Tei. Contudo, conseguimos entender que estas crenças estão ligadas a Coloane há centenas de anos.  

Todas as culturas estão destinadas a desvanecer ao longo do tempo, e Coloane não é exceção. Para ficar a conhecer melhor cada um destes templos, visitei pessoalmente os oito locais. E admito que os primeiros quatro que visitei foram os mais centrais. Enquanto procurava o Templo Tou Tei, pedi ajuda a um local, mas nem o próprio sabia a sua exata localização. Suponho que a probabilidade de um estrangeiro o conseguir encontrar seja ainda menor. Felizmente, graças ao avanço das tecnologias (Baidu Maps), acabei por lá chegar. Estava escondido atrás de um estaleiro de obras.  

Templo Tam Kong, Marginal de Coloane

A maioria destes templos podem ser descritos, sem exagero, como “desertos”. Se usarmos o incenso como forma de medir a prosperidades dos mesmos, entre os oito, apenas nos Templos de Tam Kong e Tin Hau se sente o aroma a incenso. Já nos outros seis, especialmente os quatro que nunca tinha visitado, não havia nem uma única pessoa à vista, nem sequer um pauzinho de incenso. Quem visitar estes locais irá com certeza sentir o silêncio. Na Praia de Hác Sá, perto do Templo de Tai Wong, já vemos um mar de gente e sentimos o cheiro a churrasco. O contraste entre os dois locais é arrebatador: uma praia cheia, mas nem um único visitante no templo.  

Existem várias razões para o facto de crenças que em tempos dominavam Coloane serem agora menos populares. Desenvolvo o tema no artigo “Abrir Macau#09”, disponível no website Matters, do Macaology, para quem esteja interessado.  

A estrutura dos templos chineses em Coloane é muito mais simples do que na Península de Macau. À entrada, conseguimos imediatamente ver o templo inteiro, fazendo com que as divindades presentes sejam também mais simples. A maioria dos templos são dedicados apenas a um deus, como o Templo de Tai Wong, dedicado a Hung Shing Tai Wong.  

Entre os oito templos existem 12 deuses, Kam Fa (Deusa das Flores Douradas), Kun Iam (Deusa da Misericórdia) e Va Kuong (Deus do Fogo) estão no Templo Sam Seng; Kun Iam no Templo de Kun Iam; Deusa Tin Hau (Deusa dos Céus) no Templo de Tin Hau; o Deus Tam Kong no Templo de Tam Kong; os deuses Hung Shing Tai Wong, Kuan Kong e Tam Kong no Templo Sam Seng; o Deus Tou Tei Kong no Templo Tou Tei; Kun Iam (Deusa da Misericórdia) no Templo de Kun Iam; e o Deus Hung Shing Tai Wong no Templo de Tai Wong. É importante salientar que os templos, normalmente, não são dedicados a um só deus. Por exemplo, o Deus Tou Tei Kong está presente em quase todos os templos. Excluindo os deuses recorrentes, Coloane presta homenagem principalmente a oito deuses: Kam Fa (Deusa das Flores Douradas), Kun Iam (Deusa da Misericórdia) Va Kuong (Deus do Fogo), Tin Hau (Deusa dos Céus), o Deus Tam Kong, o Deus Hung Shing Tai Wong, Kuan Kong e Tou Tei Kong. Quem são estes oito deuses? (Tam Kong, por exemplo, é considerado um prodígio). Que poderes divinos possuem para atrair devotos? Qual a sua relação com Coloane?  

Se não podemos manter o incenso aceso, pelo menos partilhemos a sua história. Para conhecermos melhor as crenças populares de Macau, primeiro temos de aprender sobre a história destes deuses.  

*Autor do Macaology    

Este artigo está disponível em: 繁體中文

Related posts
Opinião

Macau aos olhos dos coreanos

Opinião

O impacto da Ciência Política em Macau

Assine nossa Newsletter