Por cada euro que homens levam para casa, mulheres só ganham 88 cêntimos - Plataforma Media

Por cada euro que homens levam para casa, mulheres só ganham 88 cêntimos

Dados do Ministério do Trabalho comparam trabalhadores com experiência e competências iguais, e na mesma profissão. Em 2019, os cinco setores que mais empregam agravaram a penalização salarial das mulheres.

As trabalhadoras portuguesas levaram para casa, em 2019, apenas cerca de 88 cêntimos por cada euro do salário ganho pelos colegas homens com iguais qualificações, habilitações, tempo de carreira, na mesma profissão e setor de atividade, mostram novos dados do Gabinete de Estratégia e Planeamento do Ministério do Trabalho.

No barómetro das diferenças remuneratórias entre mulheres e homens, uma publicação obrigatória que calcula disparidades salariais com base nos dados anuais completos de remunerações pagas e declaradas à Segurança Social, o chamado pay gap ajustado – que neutraliza diferenças relacionadas com experiência e competências – ficou em 12,4% na comparação das remunerações que incluem prémios, complementos e subsídios. Já no salário-base, a diferença é um pouco menor, de 9,8%, traduzindo-se para as mulheres em 90 cêntimos de retribuição por cada euro pago aos homens.

Estes dados de disparidade salarial, publicados na última semana, conhecem uma ligeira melhoria face a 2018, quando as diferenças salariais ajustadas das remunerações-base estavam em 11,1%. Não houve, no ano anterior, divulgação das diferenças ajustadas na retribuição total, pelo que não é possível saber se houve melhoria.
O barómetro, que permite comparar dados desde 2017, mostra nos indicadores relativos a 2019 que as disparidades salariais não justificadas por diferenças de experiência e competências na profissão, permanecendo elevadas, atenuaram-se em 11 setores e agravaram-se em nove.

Mas, entre estes nove setores de atividade onde as mulheres passaram a ser mais penalizadas em termos salariais estão os cinco que mais empregam em Portugal: indústrias, comércio, atividades administrativas e serviços de apoio, saúde humana e apoio social, e alojamento e restauração.

Leia mais em Dinheiro Vivo

Related posts
PortugalSociedade

Portugal sobe 13 lugares na paridade homens-mulheres, em ano de regressão mundial

MundoSociedade

Pandemia atrasa uma geração no progresso na igualdade de género

Eleitos

“Contra a nossa vontade” - O sinuoso caminho da igualdade

Assine nossa Newsletter