Cooperação sino-europeia para prevenir uma nova Guerra Fria

Cooperação sino-europeia para prevenir uma nova Guerra Fria

Uma videoconferência entre os líderes da China e da Europa no início da semana passada marcou um momento importante na história da relação das duas regiões e deu início a uma nova fase dos respetivos laços. Neste segundo semestre do ano é a Alemanha que assume a presidência rotativa da UE, mas já antes Angela Merkel tinha deixado bem claro que se iria focar na relação com a China, e agora cumpre a promessa.

Na reunião virtual foram discutidos temas como as alterações climáticas e o investimento. As negociações sobre o Acordo de Investimento China-UE, importante para ambas as partes, deverão ficar concluídas o mais rápido possível, idealmente até ao final do ano, ainda sob a presidência alemã.

Em junho, Charles Michel, presidente do Conselho Europeu, e Ursula von der Leyen, presidente da Comissão Europeia, deixaram claro num encontro com o presidente chinês, Xi Jinping, que aquele acordo deveria ser rapidamente concluído, vontade reafirmada pelas partes em setembro. 

A assinatura do Acordo de Indicações Geográficas China-UE iniciou uma nova fase de cooperação bilateral, e com o próximo acordo de investimento e um novo acordo comercial também iminente, esta “cimeira” virtual foi de grande importância.

A decisão alemã de reforçar a cooperação entre a EU e a China é altamente estratégica, especialmente depois de chegar a um impasse com os EUA. O desenvolvimento destes laços é uma necessidade para evitar uma nova Guerra Fria, assim como uma forma de promover a paz a nível regional.

Para conseguir manter a hegemonia global, os EUA têm posto em causa os interesses de todo o mundo, promovido uma nova guerra entre o Ocidente e o Oriente.

Todavia, esta nova Guerra Fria, embora benéfica para a hegemonia americana, será prejudicial para qualquer outro país, e a única forma de a prevenir é através do reforço da cooperação entre a China e a Europa.

*Editor Senior do canal chinês do Plataforma

Este artigo está disponível em: 繁體中文

Artigos relacionados
Opinião

O discurso de Kissinger

Opinião

Dar ouvidos aos mais velhos

Opinião

Rodrigo Duterte e o Mar do Sul da China

Opinião

A Lua que ilumina a Terra Sagrada

Assine nossa Newsletter