Se Marcelo não se recandidatasse a PR havia um problema grave, diz António Costa - Plataforma Media

Se Marcelo não se recandidatasse a PR havia um problema grave, diz António Costa

O primeiro-ministro português considera que se Marcelo Rebelo de Sousa não se recandidatasse a Presidente da República “havia um problema grave no conjunto do país” que, no seu entender, tem por certo que concorra a um segundo mandato.

Esta opinião foi transmitida por António Costa em entrevista ao semanário Expresso, em que também adianta que, por exercer as funções de primeiro-ministro, adotará uma atitude de “recato” nas próximas eleições presidenciais.

Questionado sobre a possibilidade de existir um problema de “vacatura à direita” caso Marcelo Rebelo de Sousa decida não se recandidatar nas próximas eleições presidenciais, António Costa foi mais longe na sua análise: “Havia um problema grave no conjunto do país, que dá isso por adquirido e se sente confortável com o Presidente”.

Já sobre a forma como o PS vai gerir o processo das próximas eleições presidenciais, o secretário-geral socialista disse que haverá um momento em que os órgãos do seu partido se irão pronunciar sobre essa matéria.

“Sendo eu também primeiro-ministro, seja a pessoa que menos interfira nesse debate, porque terei de ter com o próximo Presidente uma relação institucional. Não vou interferir muito nessa campanha eleitoral”, avisou.

Na perspetiva de António Costa, um primeiro-ministro em exercício, em período de eleições presidenciais, “deve manter recato”.

A seguir, António Costa foi confrontando com o facto de o seu ministro e dirigente socialista Pedro Nuno Santos ter afirmado que apoiará um candidato presidencial do BE ou do PCP se não houver ninguém da área do PS.

O primeiro-ministro, porém, entende que “os membros do Governo devem ter em relação às presidenciais um particular dever de reserva, tendo em conta aquilo que é a relação que o Governo deve manter com o próximo Presidente, com quem terá de conviver muito tempo”.

Artigos relacionados
PolíticaPortugal

Mão dura no ataque à pandemia faz crescer popularidade de Marcelo e Costa

PolíticaPortugal

António Costa rejeita colocar idosos fora do acesso prioritário às vacinas

MoçambiquePolítica

Moçambique pede apadrinhamento de Portugal na compra da vacina

PolíticaPortugal

Marcelo marca eleições presidenciais portuguesas para 24 de janeiro

Assine nossa Newsletter