Medicamento para asma reduz 79% risco de forma grave da Covid - Plataforma Media

Medicamento para asma reduz 79% risco de forma grave da Covid

O fármaco experimental SNG001, desenvolvido para tratar asma e outras doenças pulmonares, mostrou alta eficácia quando testado para a Covid-19. O anúncio foi feito pela Synairgen, com sede em Southampton, de acordo com o PharmaTimes.

O risco de desenvolver doença grave (exigindo ventilação ou resultando em morte) durante o os primeiros 16 dias de tratamento foi significativamente reduzido em 79% nos pacientes que receberam SNG001, em comparação com os pacientes que receberam um placebo.

Os dados também mostraram que os pacientes que receberam SNG001 tiveram uma probabilidade duas vezes maior de se recuperar, definido como ‘sem limitação de atividades’ ou ‘sem evidência clínica ou virológica de infecção’, durante o período do tratamento, em comparação com os que receberam placebo. A falta de ar foi “marcadamente reduzida” nos pacientes que receberam o medicamento, em comparação com os do braço controle.

Além disso, em pacientes com doença mais grave no momento da admissão, o SNG001 aumentou a probabilidade de alta hospitalar durante o estudo, embora a diferença não fosse estatisticamente significativa, reduzindo de seis dias para nove dias, relativamente aos que receberam placebo.

Ainda de assinalar que os pacientes que receberam SNG001, aos 28 dias de tratamento, apresentaram probabilidades significativamente melhores de recuperação.

A Synairgen também revelou que três indivíduos morreram após receberem placebo, mas não houve mortes entre os que receberam SNG001.

De acordo com Tom Wilkinson, professor de medicina respiratória da Universidade de Southampton e pesquisador chefe do estudo “Os resultados confirmam nossa crença de que o interferon beta, um medicamento amplamente conhecido que, por injeção, foi aprovado para uso em várias outras indicações, tem um enorme potencial como medicamento inalado para restaurar a resposta imune do pulmão, melhorando a proteção” , acelerando a recuperação e combatendo o impacto do vírus SARS-CoV-2”.

O co-fundador da Synairgen, também professor do Conselho de Pesquisa Médica da Imunofarmacologia na Universidade de Southampton, Stephen Holgate CBE explicou que “Reconhecendo que o SARS-CoV-2 é conhecido por ter evoluído para ludibriar a resposta antiviral inicial do pulmão, nosso tratamento inalado de fornecer altas concentrações locais de interferon beta, uma proteína antiviral de ocorrência natural, restaura a capacidade do pulmão de neutralizar o vírus, ou qualquer mutação do vírus ou co-infecção com outro vírus respiratório, como influenza ou RSV, como poderia ser encontrado no inverno se houver um ressurgimento do COVID-19 “.

Recentemente, os resultados de um estudo realizado no Reino Unido com dexametasona foram publicados e confirmaram os benefícios da substância no tratamento de pacientes com Covid-19 submetidos à ventilação mecânica. No entanto, também pode causar danos à saúde das pessoas hospitalizadas, quando administrada precocemente.

O estudo foi publicado no New England Journal of Medicine, mostrou que os pacientes em ventilação mecânica que receberam a dexametasona tiveram um taxa de óbito de 29,3%. Já os que receberam o tratamento usual atingiram os 41,4%. O estudo concluiu que o medicamento foi responsável por uma redução de 29% da mortalidade dos pacientes.

Assine nossa Newsletter