Autoridades chinesas pedem à população que fique em casa por onda de calor - Plataforma Media

Autoridades chinesas pedem à população que fique em casa por onda de calor

As autoridades chinesas pediram a dezenas de milhões de pessoas que fiquem em casa nesta segunda-feira (25), devido à onda de calor que atinge o país, onde várias cidades estão em alerta vermelho.

Várias ondas de calor foram registradas no mundo todo em 2022, como em julho, na Europa Ocidental, e na Índia, em março-abril. Para os cientistas, a multiplicação desses fenómenos é consequência direta da mudança climática, e a China não é exceção. 

Recentemente, a cidade de Xangai alcançou seu maior recorde de temperatura em 149 anos, com 40,9°C. No fim de semana, as províncias de Zhejiang e de Fujian (leste) também experimentaram temperaturas acima de 41°C, com recordes históricos em duas cidades dessas províncias. 

Leia também: China lança com sucesso segundo módulo da estação espacial

Os habitantes das áreas em alerta vermelho – principalmente no sudeste e no noroeste do país – devem “abandonar todas as atividades externas” e “estar particularmente atentos à prevenção de incêndios”, anunciou o serviço meteorológico nacional. 

Para se refrescar, centenas de chineses correram, no domingo (24), para a praia de Xiamen, na província de Fujian. 

A onda de calor pressiona o sistema elétrico chinês, pois tanto os moradores quanto as empresas aumentam o consumo de ar-condicionado. As maiores centrais elétricas do país bateram seus recordes de capacidade em meados de julho, segundo a publicação especializada em energia Sxcoal. 

Leia também: Incerteza na China leva classe média a preparar “plano de fuga”

Em algumas províncias, as autoridades locais decidiram desligar a iluminação pública e aumentar a tarifa dos estabelecimentos comerciais nos horários de pico.

Assine nossa Newsletter