Indústria farmacêutica chinesa aposta no mercado lusófono - Plataforma Media

Indústria farmacêutica chinesa aposta no mercado lusófono

A Guangzhou Pharmaceutical Holdings Ltd (GPHL), uma das maiores empresas farmacêuticas da China, pretende explorar o mercado dos Países de Língua Portuguesa através de Macau, na sequência do estabelecimento de uma fábrica com mais de 2.000 metros quadrados na cidade.

As observações foram feitas por Li Hong, vice-presidente da Guangzhou Pharmaceutical Group (Macau) International Development Co., Ltd (GPGM), durante a cerimónia de assinatura de um pacto de cooperação estratégica entre a GPGM e a Associação Comercial Internacional dos Mercados Lusófonos (ACIML), na segunda-feira.

A GPHL estabeleceu a GPGM em Macau no início de 2020, em cooperação com a Nam Yue (Group) Company Limited – uma empresa estatal com sede na província de Guangdong – e a True Point Global Limited, uma empresa de Macau.

“Através do acordo de cooperação [com a ACIML] esperamos promover os produtos e a cultura da medicina tradicional chinesa [MTC] entre os Países de Língua Portuguesa”, disse Li Hong, dando um exemplo: “Todos os anos poderiam ser realizados mais eventos profissionais em Macau para defender os produtos e a cultura da MTC. O vice-presidente da GPGM referiu ainda que existem muitos produtos farmacêuticos de qualidade dos Países de Língua Portuguesa que Macau poderia introduzir no mercado local e continental.

Eduardo Ambrósio, presidente da ACIML, também observou que o pacto de cooperação poderá ajudar a promover os produtos e equipamentos farmacêuticos da GPHL no mercado lusófono.

“Com os nossos conhecimentos no ambiente económico, político e social dos países lusófonos, para além da elevada qualidade dos produtos da GPHL, estamos confiantes de que os produtos e equipamentos de MTC, de saúde e chás de ervas serão favorecidos nos países lusófonos”, assegurou Ambrósio.

A GPHL, com sede em Guangzhou, capital da província de Guangdong, é amplamente considerada como “o maior fabricante de MTC da China”, com produtos como a Wanglaoji, uma marca de bebidas à base de ervas. O conglomerado é também a primeira empresa a figurar na lista das 500 maiores empresas do mundo, a Fortune Global 500, com a MTC como principal negócio.

Estimular o talento local

Li Hong, que é também o diretor-geral de outra filial da GPHL, Guangzhou Baiyunshan Pharmaceutical Holdings Co Ltd, referiu na cerimónia que a fábrica do grupo em Macau está localizada na Ilha Verde, com um espaço de cerca de 2.000 metros quadrados e que, recentemente, contratou mão de obra local para as operações de venda por grosso, a retalho, fabrico e outras operações da unidade de produção.

“Muitos deles formaram-se em indústria farmacêutica, mas há falta de oportunidades profissionais em Macau”, ilustrou. “Assim, esperamos nutrir mais engenheiros farmacêuticos locais com a nossa fábrica na Ilha Verde”.

Embora a dimensão da fábrica da GPGM em Macau seja “relativamente menor” em comparação com outras fábricas da GPHL na China continental, Li espera que a sua operação na cidade possa servir como um modelo para “atrair mais investimentos no campo farmacêutico.”

“Depois de alguns anos de empenho, esperamos construir um ecossistema completo de produção farmacêutica em Macau e fabricar mais produtos de MTC para a população de Macau, China continental e não só”, concluiu.

Este artigo está disponível em: 繁體中文

Assine nossa Newsletter