Farfetch atrai investimento milionário para expansão na China

Farfetch atrai investimento milionário para expansão na China

A empresa retalhista de moda online Farfetch, fundada pelo empresário português José Neves, vai receber um investimento de 1,1 mil milhões de dólares norte-americanos da gigante chinesa de tecnologia Alibaba e do grupo suíço de relógios e joias Richemont para ser usado na expansão no crescente mercado de bens de luxo na China.

“Estamos a trazer a moda e o luxo que os chineses costumavam comprar na Europa para o seu aplicativo favorito”, disse o presidente-executivo da Farfetch, José Neves, ao Financial Times, referindo-se ao Alibaba.

“A Covid-19 está a estimular a repatriação das vendas para a China e acreditamos que o online terá uma grande parte disso”, acrescentou.

O grupo sediado em Londres, também parcialmente sediado em Portugal, conta agora com o apoio de dois gigantes chineses da Internet, Alibaba e do anterior acionista Tencent, bem como de dois gigantes de luxo Kering e Richemont.

Sob o acordo anunciado no final da semana passada, a Alibaba e a Richemont colocaram 300 milhões de dólares cada na própria Farfetch e outros 250 milhões cada numa unidade recém-criada chamada Farfetch China, que incluirá as operações do gigantesco mercado chinês.

Vão assim deter 25 por cento da entidade chinesa e terão a opção de comprar outros 24 por cento em cerca de três anos.

Separadamente, a Artemis, holding do bilionário francês François-Henri Pinault, que controla o grupo de luxo Kering, também planeia aumentar a participação na Farfetch, adquirindo 50 milhões em ações.

Como parte da parceria, a Farfetch ajudará marcas de moda e de luxo a lançar as próprias lojas online no Tmall Luxury Pavilion, da Alibaba, e no Tmall Global, que já atraem milhões de compradores chineses. 

Este artigo está disponível em: 繁體中文

Artigos relacionados
AngolaChina

China quer investir mais em Angola

EconomiaLusofonia

Cabo Verde é o melhor país lusófono em África para fazer negócios

ChinaEconomia

Maduro pede ajuda à China investimentos na indústria da Venezuela

AngolaEconomia

Presidente angolano convida investidores a examinarem oportunidades de negócios

Assine nossa Newsletter