Começou a expansão do Aeroporto Internacional de Cantão - Plataforma Media

Começou a expansão do Aeroporto Internacional de Cantão

A terceira fase do projeto de expansão do Aeroporto Internacional de Baiyuyn, em Cantão, arrancou no início desta semana. O projeto principal inclui duas novas pistas, o terminal T3, com 422 mil metros quadrados e uma plataforma de estacionamento de aeronaves com cerca de 200 lugares. Até 2030 é esperado que o fluxo de passageiros atinja os 120 milhões/ ano.

O Aeroporto Internacional de Baiyun constitui um importante eixo para a aviação chinesa. Em 2019, a rede de rotas a partir deste aeroporto abrangeu mais de 230 destinos em todo o mundo, incluindo mais de 90 pontos de ligação internacionais e regionais.

Depois da finalização do projeto, o terminal T3 será um complexo que incluirá transport- es rodoviários, ferroviários e de aviação. O projeto de expansão será integrado nos per- cursos Intercidades Guangzhou-Dongguan- Shenzhen, Guangzhou-Heyuan, Guangzhou-Zhuhai-Macau, na via rápida no2 do aeroporto e na extensão norte da linha 22 do metro.

A terceira fase do projeto de expansão do Aeroporto Internacional de Baiyun inclui engenharia de aeroportos, engenharia de controlo de tráfego aéreo e engenharia de abastecimento, e tem como itens principais a pista oeste no2, a pista leste no3, o edifício do terminal T3, o centro de transportes e o edifício leste no 4 do terminal T2.

A área de voo para esta terceira expansão é de classe 4E. A pista oeste no 2 terá 3.400 metros de comprimento e 45 metros de largura, construída a 915 metros de distância da pista oeste no1, enquanto a pista leste no3, que se vai estender por 3.600 metros, igualmente 45 metros de largura, ficará localizada a 1.530 metros da atual pista leste no2. Há ainda a pista leste n.º 1

O edifício do terminal T3 tem 422 mil metros quadrados, o edifício leste no 4 do terminal T2 tem 144 mil metros quadrados e o centro de transportes e de estacionamento apresenta-se 242 mil metros quadrados. Além disso, a terceira fase da expansão vai ter novos espaços (placas) de estacionamento de aviões, com capacidade para cerca de 200 aero- naves, além de uma série de instalações de transporte e de uso público.

O mercado de aviação do Delta do Rio das Pérolas está em rápido desenvolvimento. De acordo com as estatísticas, o tráfego de passageiros nesta região aumentou dos 40,5 milhões em 2005, para os 142 milhões em 2019, um aumento médio anual de mais de 9 por cento. O Guangdong Airport Management Group indicou que cerca de 90 por cento do tráfego na área da Grande Baía Guangdong-Hong-Kong-Macau está concentrado nos três aeroportos de Guangzhou, Hong Kong e Shenzhen. As infraestruturas dos grandes aeroportos enfrentam problemas de saturação e falta de capacidade a diferentes níveis, reconheceu a entidade.

O Aeroporto Internacional de Baiyun pos- sui 3 pistas e 2 terminais. A capacidade estipulada do aeroporto é de 80 milhões de passageiros por ano, estando próxima da saturação.

O documento “Opiniões de Implementação de Medidas de Apoio ao Desenvolvimento Coordenado da Aviação Civil na Área da Grande Baía de Guangdong-Hong Kong- Macau”, publicado este ano, propõe que até 2025 fique finalizada uma rede aeroportuária de nível mundial na região, a construção de eixos de aviação internacional em Hong Kong, Guangzhou e Shenzhen e um novo desenvolvimento regional coordenado de ligações entre aeroportos para Macau e Zhuhai.

Os especialistas acreditam que a terceira fase do projeto de expansão do Aeroporto de Baiyun irá promover o desenvolvimento da Área da Grande Baía como centro urbano de classe mundial, atendendo ao rápido crescimento da procura por transporte aéreo na região e funcionando como um forte estímulo à economia regional.

Este artigo está disponível em: 繁體中文

Assine nossa Newsletter