SEGURANÇA É A PASTA QUE MAIS SATISFAZ - Plataforma Media

SEGURANÇA É A PASTA QUE MAIS SATISFAZ

 

O desempenho da nova equipa governativa desde que tomou posse mereceu de residentes uma nota positiva. O secretário para a Segurança obteve a melhor avaliação, enquanto o titular da pasta dos Transportes e Obras Públicas foi “chumbado” por um grupo de inquiridos do Plataforma Macau.

 

Os residentes dizem sentir-se seguros em Macau e constatam uma melhoria na ordem social desde a tomada de posse do novo Governo, atribuindo a melhor nota de desempenho deste executivo ao secretário para a Segurança, Wong Sio Chak. Em sentido inverso, o trânsito e o serviço de transportes públicos estão no centro da insatisfação social.

De acordo com os resultados de um inquérito realizado esta semana pelo Plataforma Macau a dez residentes de Macau com idades entre os 20 e os 65 anos, a atuação da nova equipa governativa chefiada por Fernando Chui Sai On teve uma avaliação média satisfatória, de 3,8 pontos numa escala de um a cinco, em que um é a pior classificação e cinco a melhor.

Wong Sio Chak, ex-diretor da Polícia Judiciária, e o secretário para a Economia e Finanças, Lionel Leong, obtiveram as melhores médias, de 4,2 e 4,1 pontos, respetivamente.

“Sinto-me muito seguro em Macau”, constatou Wong, um comerciante de 30 anos, ao salientar que, “depois da tomada de posse deste novo Governo, a ordem social melhorou”.

Também para Li Fuzhou, de 51 anos, que trabalha numa empresa de engenharia, os esforços do Governo na área da Segurança têm tido bons resultados. “Neste campo julgo que tudo está bem, sinto-me seguro em Macau”.

Por outro lado, os residentes manifestaram-se agradados com a situação económica no curto prazo, mas revelaram-se receosos do futuro. “Os residentes têm hoje bons rendimentos, mas, a longo prazo, o novo Governo parece não prestar muita atenção à mudança da estrutura industrial da Região”, disse Wei Hang, de 23 anos. Ao salientar que a “economia de Macau ainda depende da indústria do jogo e do turismo”, esta estudante universitária alertou para a necessidade de se alterar esta realidade por ser “insustentável”.

Já Chen Xiuzheng, uma dona de casa de 54 anos, indicou estar satisfeita com a atuação do Governo na área económica, destacando que os “residentes ainda beneficiam dos planos de comparticipação pecuniária”.

“A curto prazo, a economia está bem, mas é preciso desenvolver outras indústrias além do jogo. Não vi ainda o novo Governo a fazer muito neste sentido, mas talvez precise de mais tempo”, afirmou Tsui, uma estudante de 22 anos. Para esta jovem, também deveriam ser repensadas as limitações à importações de trabalhadores, nomeadamente “as que são aplicadas a estudantes da China continental que tiram os cursos em Macau”.

Já Santo Mendoza, um segurança de 30 anos, destacou a facilidade de se encontrar trabalho, enquanto Tse, dona de casa de 52 anos, chamou à atenção para “os salários que ainda são baixos em algumas posições”.

“Muitas coisas, nomeadamente nas áreas da Segurança, Economia e Assuntos Sociais, não mudaram ainda muito e será preciso mais tempo para ver o que este Governo vai fazer”, reconheceu Li Fan, uma balconista de 29 anos.

As autoridades de Macau desmantelaram recentemente a maior rede de prostituição dos últimos 15 anos. Este caso culminou na detenção de cerca de 100 pessoas, incluindo Alan Ho, diretor executivo do Hotel Lisboa e sobrinho do magnata Stanley Ho. O novo secretário para a Segurança garantiu que o combate à criminalidade será mantido e que será reforçada a presença policial nos casinos e hotéis.

Lionel Leong, dono de uma das maiores lavandarias do mundo e apontado como potencial candidato a líder do Governo em 2019, classificou a diversificação da economia como uma prioridade fundamental deste Governo, prevendo que a tendência de queda das receitas de jogo se manterá neste primeiro semestre.

 

NEGATIVA PARA OS TRANSPORTES

 

O secretário para os Assuntos Sociais e Cultura, Alexis Tam, obteve a terceira melhor classificação dos residentes inquiridos no âmbito deste barómetro, seguindo-lhe a titular da pasta da Administração e Justiça, Sónia Chan.

Alexis Tam obteve uma avaliação média de 3,9 pontos e Sónia Chan, em quarto lugar neste ranking, uma média de 3,6 pontos.

Wei Hang salientou que ainda “não foram registadas grandes mudanças na Administração”, no entanto, Tse sublinhou que os “serviços públicos são já bons e muito eficientes”.

A única mulher que integra o novo executivo estabeleceu como prioridades a simplificação do aparelho administrativo, aceleração do processo legislativo e a uniformização dos contratos dos funcionários públicos.

Já Alexis Tam, que tem uma agenda ambiciosa na área da Saúde, prometeu o recrutamento de mais de 500 profissionais, melhores regalias para o pessoal médico, redução dos tempos de espera nos serviços, a conclusão do novo hospital público e melhor fiscalização do erário público.

A pasta dos transportes é a que concentra maiores problemas, segundo os residentes, que se disseram desagradados com a situação neste campo.

O novo titular desta pasta, Raimundo do Rosário, foi o único elemento da nova equipa governativa a ser avaliado com uma nota média negativa, de 2,4 pontos. “Muitas ruas estão com obras que causam muito trânsito e parece que o Governo não tem uma boa solução para isto”, constatou Wei Hang. Li Fuzhou também referiu que o novo Governo “não fez ainda nada para melhorar a situação”, especialmente no que toca “às tarifas dos táxis e aos congestionamentos”.

Para Chen Xiuzheng, “o serviço de transportes públicos não é bom o suficiente, não há autocarros em número suficiente e o novo Governo não tem melhorado este cenário”. “Não me parece que a situação na área dos transportes esteja a melhorar depois da tomada de posse do novo Governo”, concluiu Tse, uma dona de casa de 52 anos.

Raimundo do Rosário pediu tempo até à apresentação das Linhas de Ação Governativa para anunciar medidas para os Transportes e Obras Públicas.

 

Patrícia Neves com Wendy Wu

 

Este artigo está disponível em: 繁體中文

Assine nossa Newsletter