OJ Simpson é um homem livre após fim de sua liberdade condicional

OJ Simpson é um homem livre após fim de sua liberdade condicional

OJ Simpson, o jogador de futebol americano que se tornou estrela de cinema e cujo julgamento por duplo homicídio chocou e dividiu os Estados Unidos na década de 1990, é um homem completamente livre, depois de cumprir seu período de liberdade condicional, confirmou a polícia nesta terça-feira (14)

Simpson, agora com 74 anos, foi libertado da prisão em Nevada em 2017, onde cumpriu nove anos por assalto à mão armada em um caso envolvendo artigos esportivos históricos. Ele estava programado para encerrar sua liberdade condicional em fevereiro.

“O Conselho de Comissários de Liberdade Condicional de Nevada conduziu uma audiência de dispensa antecipada para o Sr. Simpson”, explicou o porta-voz da polícia de Nevada, Kim Yoko Smith.

“A decisão de conceder a liberdade condicional antecipada foi ratificada em 6 de dezembro de 2021. O Conselho concedeu créditos em valor igual ao tempo restante da pena para reduzir a pena em tempo cumprido.”

A vida pública digna de novela de Simpson começou como um proeminente running back no futebol universitário, ganhando o cobiçado Troféu Heisman de melhor jogador do país, antes de concluir uma carreira estelar na NFL.

Ele se tornou um sucesso de bilheteria com filmes e comerciais.

Em 1994, milhões de americanos assistiram à perseguição de Simpson nas estradas do sul da Califórnia ao vivo pela televisão. Ele estava viajando a bordo de um Bronco branco dirigido por um amigo e seguido por um comboio da polícia, em uma suposta tentativa de fugir do suposto duplo assassinato de sua ex-mulher e um amigo dela.

Simpson foi absolvido em 1995 por um júri de Los Angeles, em um caso denunciado por muitos como um circo midiático que ficou conhecido como o “Julgamento do Século”, estrelado por advogados de alto perfil e com uma reviravolta dramática sobre se as luvas encontradas na cena do crime cabiam em suas mãos.

O veredicto foi recebido com descrença por muitos americanos, e a opinião sobre a culpa do atleta negro foi fortemente dividida em termos raciais.

O caso se tornou a série de televisão do canal FX “The People vs. OJ Simpson: American Crime Story”, que foi ao ar em 2016 e ganhou um Emmy.

Simpson foi considerado responsável pelas mortes em um processo civil de 1997 e condenado a pagar US$ 33,5 milhões em danos à família de Ron Goldman, que foi morto a facadas junto com a ex-mulher de Simpson, Nicole Brown Simpson.

Simpson se declara inocente até hoje e sempre negou que tentou fugir durante a famosa caçada humana, apesar de ignorar o prazo dado pela polícia para se entregar.

O ex-jogador afirmou a um detetive da polícia de Los Angeles por telefone durante a perseguição em baixa velocidade para “avisar a todos que ele não estava fugindo”, e sim visitando o túmulo de Nicole.

Uma mochila contendo o passaporte e dinheiro de Simpson, além de uma pistola, encontrada pela polícia no carro, levou muitos a questionar suas intenções, porém a promotoria nunca as apresentou como prova.

Mais tarde, Simpson escreveu um livro intitulado “Se eu tivesse feito”, que fornecia uma descrição hipotética dos assassinatos.

Related posts
Lifestyle

Adele chora ao cancelar espetáculos em Las Vegas devido ao Covid

ChinaPolítica

Pequim protesta contra presença de navio militar dos EUA no Mar da China

ChinaHong Kong

Ativista pró-independência Edward Leung libertado

MundoPolítica

Blinken pede que Putin escolha 'via pacífica' durante visita à Ucrânia

Assine nossa Newsletter