Montou laboratório para fazer medicamento para o filho bebé a morrer -

Montou laboratório para fazer medicamento para o filho bebé a morrer

Bloqueado na China pelas restrições da covid-19, impedido de sair do país para procurar tratamento para a doença genética do filho, um homem chinês, sem qualquer formação na área da saúde ou da farmacêutica, instalou um laboratório em casa para fabricar um medicamento para o filho bebé.

“Nem pensei no assunto, não tive tempo para avaliar se fazia ou não. Simplesmente tive de o fazer”, explicou Xu Wei, em declarações à agência de notícias France Presse (AFP). Haoyang padece do Síndrome de Menkes, uma doença genética rara que impede o corpo de processar devidamente o cobre, crucial para o desenvolvimento do cérebro e do sistema nervoso. Por norma, crianças com esta doença não sobrevivem além dos três anos e muitas morrem nos primeiros 12 meses após o parto.

“Apesar de não se poder mexer ou falar, tem alma e sentimentos”, diz Xu Wei, que não se conformou com o destino que lhe foi escrito por outros. Ao saber que a doença era incurável e que o único medicamento que podia aliviar os sintomas do filho não se vende na China, decidiu fazer ele próprio o remédio.

“A minha família e os meus amigos eram contra. Diziam que era impossível”. Mais do que a fé, o amor de um pai (ou uma mãe) move montanhas, tubos de ensaio, bicos de Bunsen, placas de Pétri e demais equipamento necessário a um alquimista.

Wei usou um programa de tradução para interpretar a informação existente sobre a doença, na grande maioria escrita em inglês, e descobriu que a histidina de cobre podia ajudar o filho. Adquiriu o material online e instalou um laboratório em casa, um apartamento no sudoeste de Kunming, na China, com o equipamento necessário para criar o remédio que dá ao filho, e que em Portugal é produzido pelo laboratório militar.

Leia mais em Jornal de Notícias

Assine nossa Newsletter