Santuário de Fátima cheio na primeira peregrinação sem restrições - Plataforma Media

Santuário de Fátima cheio na primeira peregrinação sem restrições

Desde 2019 que o Santuário de Fátima não registava uma moldura como a desta noite, em que milhares de peregrinos assistiram às celebrações da peregrinação internacional aniversária, presidida pelo Cardeal brasileiro Sérgio da Rocha, arcebispo de São Salvador da Bahia.

Quatro das oito portas de acesso ao Santuário de Fátima foram encerradas ao início da noite, antes mesmo de se acenderem os milhares de velas que iluminaram de novo a fé dos peregrinos de Fátima.

“Peregrinar é dom, é graça, mas também é compromisso, oportunidade singular para dar passos de conversão e vida nova. Em Fátima, Nossa Senhora continua a nos convidar à conversão, à oração e à penitência”, disse o cardeal Sérgio da Rocha, na homilia deste 12 de outubro, que assinala os 104 anos das aparições.

Vindo do Brasil, onde a pandemia tem atingido níveis de infeção e morte alarmantes, o arcebispo lamentou o que considera ainda mais grave que o negacionismo teórico: “uma espécie de negacionismo na prática. Como se negassem, pelo modo de se comportar, tão ou mais grave do que teoricamente. E ainda mais grave quando por parte dos que estão ao serviço do povo, pois desses espera-se uma redobrada responsabilidade”, disse, quando durante a tarde falava aos jornalistas, durante a conferência de imprensa, ao lado do bispo António Marto e do reitor Carlos Cabecinhas.

Era suposto ser apenas um regresso entusiasmado dos peregrinos ao Santuário, sem limitação de presenças, fora dos círculos pintados no chão durante os tempos mais duros da pandemia. Mas a peregrinação internacional aniversária deste 12 e 13 outubro acabou por ser ensombrada pelo tema que, desde há vários dias, paira como uma nuvem sobre a Igreja Católica: a pedofilia em França, e as ondas de choque que acabam por fazer-se sentir no resto do mundo.

Leia mais em Diário de Notícias

Assine nossa Newsletter