Macau só abre a Hong Kong após luz verde de Pequim - Plataforma Media

Macau só abre a Hong Kong após luz verde de Pequim

O Chefe do Executivo, Ho Iat Seng, afirmou ontem que só depois de a China considerar Hong Kong como um destino seguro é que Macau vai abrir portas à região vizinha, aliviando as restrições à circulação impostas na sequência da pandemia de COVID-19.

“Assim que o País considerar que Hong Kong é de baixo risco, seguiremos então as estratégias”, afirmou Ho Iat Seng.

Aos jornalistas, à margem da recepção oficial do 1 de Outubro, o Chefe do Executivo afastou assim estipular por quanto tempo é que Hong Kong precisa de estar sem novos casos do novo tipo de coronavírus para a abertura ser automática.

Actualmente, a Ponte Hong Kong-Zhuhai figura como a única forma de ligação a Hong Kong, já que, as carreiras marítimas entre as duas regiões encontram-se suspensas desde Fevereiro.

Macau exige a quem chega de Hong Kong não só um teste negativo à COVID-19, como o cumprimento de 14 dias de quarentena, com a antiga colónia britânica a impor medidas semelhantes a quem chega de Macau.

Os barcos de Hong Kong eram, de resto, um meio de transporte que “trazia muitos turistas”, como reconheceu o Chefe do Executivo.

O facto de a China ter retomado integralmente a emissão de vistos de turismo (individuais e de grupo) para Macau, a 23 de Setembro, criou expectativas para a ‘Semana Dourada’, mas Ho Iat Seng prefere não ter ilusões relativamente ao número de turistas: “É muito difícil fazer previsões, mas é certo que não vai ser [um cenário] muito ideal”.

Leia mais em TDM

Assine nossa Newsletter