Hospital do Bié inaugurado por João Lourenço custou 48 milhões de euros - Plataforma Media

Hospital do Bié inaugurado por João Lourenço custou 48 milhões de euros

O novo Hospital Geral do Bié, denominado Walter Strangway, inaugurado ontem pelo Presidente da República, custou ao Estado angolano 48.677. 650 milhões de euros

O estabelecimento hospitalar tem capacidade instalada de 230 camas, para a prestação de 20 serviços especializados e complementares. Está equipado com meios modernos e alta tecnologia. Tem mais de mil profissionais, dos quais 779 transferidos do anterior hospital. Os outros funcionários, num total de 297, foram admitidos por concurso público realizado no ano passado.

A ministra da Saúde, Sílvia Lutucuta, afirmou tratar-se de uma estrutura hospitalar que tem as características e valências que configuram mais um exemplo concreto da forte aposta do Governo na melhoria na prestação de serviços de saúde no país. “O Executivo está a trabalhar para que a população tenha, não só acesso aos cuidados e serviços de saúde, mas que estes sejam prestados com qualidade, para salvar a vida”, garantiu.

A mais nova e moderna unidade sanitária do Bié, disse, vai, também, contribuir no combate à Covid-19. “Este hospital vai, certamente, garantir melhor abordagem de diagnóstico e a gestão de casos causados por este inimigo letal e invisível que nos ensina, todos os dias, a sermos humildes e, para o qual, o tratamento ainda não foi encontrado”, referiu.

Sílvia Lutucuta transmitiu uma palavra de apreço a todos os profissionais de saúde que vão garantir a prestação de serviço de saúde no Hospital Geral do Bié. Pediu “dignidade e elevado sentido de humanismo, traduzindo, assim, a importância de colocarmos as pessoas no centro da nossa atenção”.

Leia mais em Jornal de Angola

Este artigo está disponível em: English

Artigos relacionados
AngolaPolítica

"Há brancos maus, mas também há pretos maus, há pretos muito maus”

AngolaPolítica

João Lourenço: "Manifestações não têm de acabar em violência"

AngolaEconomia

Pandemia e crise económica criaram "tempestade perfeita" em Angola 

AngolaPolítica

UNESCO destaca papel de João Lourenço na educação em tempo de pandemia

Assine nossa Newsletter