De Marte e do vírus - Plataforma Media

De Marte e do vírus

A última semana trouxe boas notícias nos domínios da ciência, da investigação, do conhecimento e da inovação em língua portuguesa.

Comecemos pelo fator proximidade. A primeira missão espacial chinesa está a caminho de Marte. Há uma semana. E uma equipa multidisciplinar e multinacional de investigadores da Universidade de Ciência e Tecnologia de Macau (MUST) está a acompanhar a missão a par e passo.

A recolha e análise de dados, nos domínios da descoberta de indícios de vida no planeta vermelho, assim como do estudo da radiação, das condições atmosféricas e da geomorfologia do planeta, para uma aterragem segura da sonda “Tianwen-1”, estão entre as tarefas prioritárias do grupo de Macau.

A equipa agrega, designadamente cientistas portugueses e chineses. Dando continuidade à máxima de Macau ser, há séculos, um ponto de encontro entre Oriente e Ocidente. Também no conhecimento, na ciência, na investigação e na inovação.

O desígnio da sabedoria esteve também em destaque nos últimos dias, em Portugal. Ali foi apresentada a primeira máscara têxtil, reutilizável, com capacidade comprovada para inativar o novo coronavírus, responsável pela Covid-19, quando em contacto com o tecido.

Trata-se de um projeto de cooperação entre a comunidade empresarial, académica e científica que ultrapassou com êxito os exigentes testes do Instituto de Medicina Molecular João Lobo Antunes. Um avanço que demonstra que a ciência, a academia e o empreendedorismo, quando caminham juntos, ajudam a humanidade a progredir.

Terça-feira ficou a saber-se que foi desenvolvida, também em Portugal, um equipamento com tecnologia pioneira que consegue inativar, em apenas um minuto, 99,97 por cento das partículas de Covid-19 que circulam no ar.

O estudo foi desenvolvido pelo Campus de Tecnologia e Inovação da BLC3, em Oliveira do Hospital, em parceria com a Universidade do Minho e as faculdades de farmácia das universidades de Lisboa e de Coimbra.

Eis, pois, uma demonstração de que o conhecimento científico e a inovação são cada vez mais, felizmente, uma realidade sólida nas diferentes geografias da lusofonia.

Este artigo está disponível em: English 繁體中文

Artigos relacionados
Editorial

Viagens de estudo

Editorial

Coincidências

Editorial

Tempos de viagem, de viragem ou de miragem

Editorial

Uma mão ainda vazia mas carregada de esperança

Assine nossa Newsletter