PAIGC exige inquérito a rapto de deputado da Guiné-Bissau - Plataforma Media

PAIGC exige inquérito a rapto de deputado da Guiné-Bissau

O Partido Africano para a Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC) pediu hoje a criação de uma comissão de inquérito parlamentar ao ataque de sexta-feira contra o deputado guineense Marciano Indi.

“Tratando-se de um assunto ligado à segurança pública e dos eleitos do povo, que deve preocupar a Assembleia Nacional Popular, o grupo parlamentar do PAIGC concluiu que se torna necessária a criação de uma comissão parlamentar de inquérito para averiguar as circunstâncias em que ocorreu o rapto e espancamento do deputado da Nação e apurar responsabilidades”, refere o partido no pedido.

O pedido foi feito numa carta enviada pelo grupo parlamentar do PAIGC ao presidente do parlamento, Cipriano Cassamá.

O deputado Marciano Indi, da Assembleia do Povo Unido – Partido Democrático da Guiné-Bissau (APU-PDGB) foi raptado e espancado na sexta-feira por um grupo de desconhecidos, mas acabou por ser libertado, depois da intervenção do presidente do parlamento nacional.

Marciano Indi é conhecido pela sua posição crítica face ao atual poder na Guiné-Bissau, nomeadamente o líder da APU-PDGB e primeiro-ministro, Nuno Nabian, com quem se incompatibilizou de forma aberta.

Indi tem defendido a continuidade do seu partido no acordo de incidência parlamentar assinado com o Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC), em março passado, para desta forma criar uma maioria no parlamento.

O PAIGC venceu as legislativas de março de 2019 sem maioria e fez um acordo de incidência parlamentar com a APU-PDGB, Partido da Nova Democracia e União para a Mudança, obtendo 54 dos 102 assentos no parlamento.

Related posts
ChinaPolítica

Cimeira virtual EUA-China procurará reduzir tensões

MundoPolítica

Seul vigia movimentos de Pyonyang depois de comunicados duros do regime

MoçambiqueSociedade

Corpo de antigo deputado da Renamo raptado encontrado numa mata em Moçambique

MundoPolítica

Rohani acusa Israel de querer semear o 'caos' com morte de cientista iraniano

Assine nossa Newsletter