Envelopes vermelhos de ano novo - Plataforma Media

Envelopes vermelhos de ano novo

A tradição chinesa de oferecer envelopes vermelhos no novo ano já é muito antiga. A cor vermelha representa a felicidade, e acredita-se que estes envelopes têm a função de espantar maus espíritos. Isto porque a outra expressão também usada para os descrever (dinheiro de presente) tem uma pronúncia parecida com “dinheiro para afastar maus espíritos”. Embora em Guangdong, Hong Kong e Macau seja utilizado outro nome para estes envelopes vermelhos, o significado por detrás dos mesmos não difere. Ambos representam os desejos de bom ano novo e felicidade das gerações mais velhas para as gerações mais novas. No entanto, ao longo das últimas décadas, esta tradição tem sofrido algumas mudanças. Hoje em dia é também hábito comum partilhar estes envelopes entre amigos e colegas, como forma de felicitação. 

Esta tradição tem conotações sociais e culturais. Sociais, pois reflete relações económicas e humanas. Culturais, por representar em parte o respeito pelos mais velhos, e a preocupação pelos outros. Todavia, hoje em dia a sociedade parece dar mais importância ao aspeto “económico” desta tradição do que ao cultural. Antigamente, a quantia recebida não era importante, e quem a recebesse iria sempre agradecer o gesto com desejos de saúde e felicidade para a geração mais velha, sendo ao mesmo tempo desenvolvido também o hábito de poupança.

Hoje em dia a relação e interação entre as pessoas é diferente da de antigamente, sendo os desejos de ano novo enviados através de telefonemas, Facebook ou WeChat. Os desejos de ano novo em pessoa ainda se mantêm, mas algumas, em vez de irem transmitir desejos de ano novo a casa de alguém, esperam a visita de outros em sua casa. Ao contrário do esperado, quem está à espera não é quem irá oferecer os envelopes, mas sim quem os irá receber. Este é um fenómeno que nos últimos 20, 30 anos tem vindo a crescer, principalmente na China continental, entre pessoas como oficiais do governo e pessoas ligadas às áreas da saúde e da educação. Macau mantém sempre semelhanças com o continente. Neste caso, embora não tão comum como no continente, este fenómeno tem sido praticado desde há pouco tempo, surgindo, principalmente entre pessoas ligadas ao setor dos serviços. Desde o ataque do Presidente Xi Jinping à corrupção, a tradição de esperar por envelopes vermelhos em casa tem vindo a diminuir. Este ano, antes da época de ano novo começar, o partido emitiu um comunicado a alertar que envelopes vermelhos enviados através de transferências bancárias, Alipay ou outros serviços do género iriam ser considerados ilegais. Por isso, acredito que este ano a natureza cultural estará um pouco mais presente, voltando a um mundo onde o mais importante é agirmos de acordo com os nossos meios, onde o que conta é a intenção. 

DAVID Chan  02.03.2018

Este artigo está disponível em: 繁體中文

Assine nossa Newsletter