São Tomé e Príncipe vai pagar dívida de 2,5 milhões de euros a Portugal - Plataforma Media

São Tomé e Príncipe vai pagar dívida de 2,5 milhões de euros a Portugal

São Tomé e Príncipe prevê pagar a totalidade da dívida a Portugal no próximo ano, num total de mais de 60 milhões de dobras, quase 2,5 milhões de euros, segundo a proposta do Orçamento do Estado para 2022.

De acordo com um dos quadros apresentados no Orçamento do Estado para 2022 (OE2022), São Tomé e Príncipe pretende saldar a dívida de capital de 44,8 milhões de dobras (1,8 milhões de euros), a que se somam juros de 16,1 milhões de dobras (657 mil euros), num total de 60,9 milhões de dobras (2,48 milhões de euros.

A dívida a Portugal, de resto, é a maior parcela no total de pagamentos previstos para o próximo ano, numa lista que totaliza o valor de 143,6 milhões de dobras (5,8 milhões de euros), entre capital e juros, e que inclui dois avultados pagamentos de 23,7 milhões de dobras (967 mil euros) ao Banco Africano de Desenvolvimento (BAD) e mais 17,4 milhões de dobras (710 mil euros) ao Fundo Monetário Internacional (FMI).

“A Amortização da Dívida Pública programada para o ano 2022 ascende ao montante de 204 milhões de Dobras o que corresponde a mais 52,2% do que se espera amortizar em 2021, bem com a 5,3% das despesas totais e 1,7% do PIB estimado para o ano”, lê-se no OE de São Tomé e Príncipe para o próximo ano.

“A previsão que temos é pagar essa dívida, e também a do Banco Africano de Desenvolvimento e do Fundo Monetário Internacional”, confirmou à Lusa o porta-voz do Ministério das Finanças.

O Governo pretende amortizar 47 milhões de dobras (1,9 milhões de euros) em dívida interna, representando 23,1% do total, e fará também amortizações de dívida externa no total de 157 milhões de dobras (6,4 milhões de euros), equivalentes a 76,9% do total da dívida.

De acordo com um dos quadros apresentados no OE, que “espelha o serviço da dívida pública externa programado para 2022, segregado por credores, constata-se que as maiores amortizações destinam-se a BAD/FAD [Banco Africano de Desenvolvimento / Fundo Africano de Desenvolvimento], Portugal e FMI [Fundo Monetário Internacional], que correspondem a respetivamente, 35,8%, 29,3% e 8,4% do total do serviço da dívida pública externa”, aponta-se ainda no Orçamento.

O Governo são-tomense entregou na segunda-feira no parlamento a proposta de Orçamento do Estado (OE) para 2022, avaliado em cerca de 158 milhões de euros, estimando o crescimento da economia na ordem dos 2,8% do PIB (Produto Interno Bruto).

Após a entrega do documento, o ministro das Finanças, Engrácio Graça, acompanhado pelo ministro dos Assuntos Parlamentares, Cílcio Santos, disse que 51% do OE é assegurado por recursos externos e 48,9% através de recursos internos.

“Dos 158 milhões de euros, cerca de 54% deste montante está destinado às despesas de funcionamento, 38% para as despesas relativamente aos investimentos e 4% para amortização da dívida”, descreveu Engrácio Graça.

Assine nossa Newsletter