Preços dos combustíveis já subiram 11% desde janeiro em Cabo Verde - Plataforma Media

Preços dos combustíveis já subiram 11% desde janeiro em Cabo Verde

O preço do litro de gasolina aumentou mais de 3% em Cabo Verde desde domingo, conforme novos valores máximos dos combustíveis definidos pela agência reguladora do setor, acumulando uma subida global de 11% desde janeiro.

Esta tabela é revista mensalmente pela Agência Reguladora Multissetorial da Economia (ARME) e, de acordo com a agência reguladora, citando dados publicados no Platts European Marketscan e LPGasWire, os preços médios dos combustíveis nos mercados internacionais mantiveram a subida dos meses anteriores, aumentando 1,10% de junho para julho, “pressionados pela perspetiva de recuperação da oferta” e pela valorização do dólar, “à medida que a economia global se recupera da pandemia de covid-19”.

Comparativamente ao período homólogo, de agosto de 2020, então ainda fortemente marcado internacionalmente, em termos económicos, pela pandemia de covid-19, a variação média em Cabo Verde dos preços dos “combustíveis corresponde a um aumento de 34,4% e, relativamente à variação média ao longo do ano em curso, ela corresponde a um acréscimo de 11%”, descreve a ARME.

Até julho, os preços médios dos combustíveis já tinham subido 10,4%, segundo a ARME.

Desta forma, o gasóleo normal passou a ser vendido desde 01 de agosto, em Cabo Verde, conforme nova tabela da ARME, a um preço máximo de 100,90 escudos (91 cêntimos de euro) por litro, um aumento de 1,1% face ao preço praticado em julho.

Já o litro de gasolina passou a ser vendido a 132,60 escudos (1,19 euro), um aumento de 3,35%, enquanto o de petróleo passou para 84,30 escudos (76 cêntimos), uma subida de 1,44%. O litro de gasóleo para eletricidade aumentou 1,30%, para 85,70 escudos (77 cêntimos) e o do gasóleo marinha subiu 1,26%, para 72,50 escudos (65 cêntimos).

O preço do gás butano aumentou este mês 7,39% face a julho, passando a variar entre 410 e 7.907 escudos (3,69 a 71 euros), respetivamente botijas de três a 55 quilogramas.

Os novos preços máximos de venda ao consumidor final dos combustíveis regulados são válidos até 31 de agosto, quando será feita nova revisão pela ARME, e refletem um aumento médio (global), de 2,2% face aos praticados durante o mês de julho.

Assine nossa Newsletter