Merkel e Macron abordam com Xi Jinping relações entre a UE e a China - Plataforma Media

Merkel e Macron abordam com Xi Jinping relações entre a UE e a China

O Presidente francês, Emmanuel Macron, e a chanceler alemã, Angela Merkel, abordaram esta segunda-feira, em videoconferência com o Presidente chinês, Xi Jinping, as difíceis relações entre a China e a União Europeia.

A reunião centrou-se “especialmente no estado das relações” entre estas duas grandes economias, de acordo com um comunicado do Governo alemão, no momento em que são públicas as divergências e as sanções recíprocas.

Um comunicado da Presidência francesa faz ainda referência ao facto de os três líderes terem concordado em que há “uma janela de oportunidade” para recuperar o acordo nuclear com o Irão, assinado em 2015, que ficara em risco depois do abandono unilateral por parte dos EUA, em 2018.

Além disso, acrescenta o breve comunicado, os três líderes falaram sobre o comércio internacional, a luta contra as mudanças climáticas, a proteção da biodiversidade e a cooperação internacional em tempos de pandemia.

Na frente climática, antes da cimeira do clima de Glasgow (COP26) no final do ano, “a chanceler e o Presidente Macron defenderam mais ajustes nas metas emissões de CO2”, pode ler-se no documento do Governo alemão.

As Nações Unidas têm repetidamente instado os países a “aumentar as ambições” nesta área, para conter o aquecimento global, na esperança de que o aumento das temperaturas não ultrapasse dois graus Celsius em relação aos níveis pré-industriais, conforme assinado no Acordo de Paris.

Os compromissos anunciados até agora – e os da UE e da China estão entre os mais ambiciosos – não são suficientes para atingir a meta que, segundo especialistas, evitaria as consequências mais catastróficas do aquecimento global.

Os dois dirigentes europeus também se manifestaram a favor de “esforços comuns adicionais para a proteção da biodiversidade”, por ocasião da conferência sobre o assunto marcada para 15 de outubro em Kunming (China) e que Pequim tem interesse em tornar um sucesso.

Sobre o acordo nuclear com o Irão, os três líderes concordaram na necessidade de avançar com as negociações “o mais depressa possível”, de forma a evitar o risco de proliferação de armas nucleares, segundo fontes do Governo francês.

Merkel, Macron e Xi também falaram em “cooperação na luta contra a pandemia de covid-19” e sobre o “fornecimento global de vacinas”, embora os pormenores não tenham sido divulgados.

No dia 16 de abril, os dois presidentes e a chanceler já tinham realizado uma videoconferência neste mesmo formato voltada para o combate às mudanças climáticas e que serviu de preparação para a cimeira de líderes sobre o mesmo tema que foi organizada, logo de seguida, pelo Presidente dos Estados Unidos, Joe Biden.

Apesar do diálogo aparentemente fluido sobre a questão do clima, as relações bilaterais entre a UE e a China não estão no seu melhor.

O acordo recíproco de proteção ao investimento entre as duas partes parece ter bloqueado no processo de ratificação europeu e as diferenças políticas estão a aumentar de intensidade, sobretudo no que diz respeito à repressão de Pequim em Hong Kong e às violações dos direitos humanos contra a minoria muçulmana uigur em Xinjiang.

Os Estados Unidos também têm pressionando os seus parceiros europeus a cerrar fileiras em várias esferas, da política à económica, na sua disputa pela primazia com a China.

Para agravar as tensões entre Bruxelas e Pequim, a UE sancionou quatro funcionários e uma entidade chinesa, em 22 de março, por violações dos direitos humanos em Xinjiang, seguindo uma decisão semelhante dos EUA.

Pequim respondeu sancionando 10 cidadãos europeus, incluindo cinco eurodeputados, e quatro entidades, ao mesmo tempo que convocou o embaixador da UE na China, Nicolas Chapuis, para apresentar uma queixa formal a Bruxelas.

Related posts
ChinaEconomia

Merkel e Macron apoiam ratificação de acordo de investimento com a China

Política

Merkel apoia ideia de "confinamento nacional curto" na Alemanha

BrasilPolítica

Covid-19: Bolsonaro refere Angela Merkel para renovar críticas ao confinamento

Política

Angela Merkel cancela planos de paralisação na Páscoa e pede desculpas

Assine nossa Newsletter