Parque Guangdong-Macau quer promover medicamentos tradicionais chineses no Brasil - Plataforma Media

Parque Guangdong-Macau quer promover medicamentos tradicionais chineses no Brasil

O Parque Científico e Industrial de Medicina Tradicional Chinesa para a Cooperação entre Guangdong-Macau quer montar uma plataforma de comércio de medicamentos com o Brasil.

A promessa foi feita pela presidente do parque, Lu Hong, durante uma sessão de bolsas de contactos que, após três horas e meia, terminou com acordos assinados entre 15 fabricantes e oito distribuidores brasileiros.

Num comunicado, o parque situado na ilha da Montanha, junto a Macau, revela que o evento reuniu reguladores médicos de Macau e do Brasil para discutir o registo e supervisão de medicamentos tradicionais chineses.

O cônsul-geral do Brasil em Macau, Rafael Rodrigues Paulino, disse que um reforço da cooperação com o Brasil nesta indústria é particularmente importante no contexto da pandemia de covid-19.

Mais de 70 pessoas participaram na sessão de bolsas de contactos, que incluiu uma componente presencial, na ilha da Montanha, e videoconferência, tendo promovido 87 medicamentos de empresas de Macau, Hong Kong e da China continental.

Lu Hong lembrou que o parque tem vindo a apostar na formação de técnicos em medicina tradicional chinesa em Moçambique.

Mais de 300 profissionais de saúde moçambicanos já receberam formação nesta área, tendo o parque também apoiado empresas de Macau e da China continental na obtenção de licenças de comercialização de seis medicamentos tradicionais chineses em Moçambique.

Uma nova lei de Macau que concede benefícios fiscais à produção de medicamentos tradicionais chineses vai intensificar a exportação para países africanos de língua portuguesa, disse à Lusa em março o presidente da Associação Comercial Internacional para os Mercados Lusófonos.

“A informação que tenho é que há pelo menos 25 empresas que se chegaram à frente a pedir emissão de alvarás para produção” de produtos associados à medicina tradicional chinesa, adiantou Eduardo Ambrósio.

Em 2019, o Ministério da Saúde do Brasil e a Administração Nacional de Medicina Tradicional Chinesa assinaram um acordo de cooperação, com foco em medicina tradicional, durante uma visita do Presidente chinês, Xi Jinping, a Brasília.

Este artigo está disponível em: 繁體中文

Assine nossa Newsletter