Angola pede mais 'flexibilidade' para o fundo do Fórum Macau

Angola pede mais ‘flexibilidade’ para o fundo do Fórum Macau

Angola pede à China uma maior “flexibilidade” no acesso ao fundo para os Países de Língua Portuguesa, para o tornar mais ativo no financiamento de projetos

O apelo ao reforço do Fundo de Cooperação e Desenvolvimento China-Países de Língua Portuguesa, com sede em Macau, foi feito pelo embaixador de Angola na China, João Salvador dos Santos Neto, durante uma reunião com o Secretariado Permanente do Fórum de Macau.

Segundo a imprensa angolana, durante a reunião com os embaixadores dos Estados membros do Fórum, o Secretariado apresentou o projeto de Declaração Conjunta, para ser assinado na reunião ministerial prevista para Outubro, em Macau.

O embaixador angolano na China também defendeu a promoção de uma maior capacidade institucional, especialmente em termos de assistência na conceção de projetos a serem submetidos ao Fundo de Cooperação e Desenvolvimento.

O Fundo de Cooperação e Desenvolvimento, disse Santos Neto à imprensa estatal angolana, representa um fator extremamente importante para o aumento da capacidade produtiva nos países que compõem o Fórum de Macau.

“Temos de aproximar as nossas intenções das realizações. Compreendemos que as questões de saúde pública e economia são extremamente importantes e o apoio a estes setores deve ser feito de uma forma mais concreta”, defendeu.

João Salvador dos Santos Neto salientou ainda que a reunião ministerial agendada para Outubro, em Macau, deverá representar algo muito mais tangível e um salto qualitativo face à atual situação internacional, agravada pela emergência da nova pandemia de coronavírus.

“As nossas economias complementam-se mutuamente, pelo que temos de interiorizar que esta cooperação é mutuamente benéfica para todos os países que fazem parte do Fórum”, apontou o diplomata.

Além dos representantes dos países de língua portuguesa, a reunião da semana passada, realizada em Pequim, contou com a presença de funcionários do Ministério do Comércio da China e da Administração da Região Especial de Macau, que alberga o secretariado permanente do Fórum.

Este artigo está disponível em: 繁體中文

Related posts
ChinaSociedade

Soromenho-Marques diz que “China nunca bateu com a porta” à cooperação

ChinaMundo

Enviado dos EUA exorta Pequim a cooperar com Washington nas questões climáticas

LusofoniaMacau

Secretariado do Fórum recomenda adesão da Guiné Equatorial

EntrevistaLusofonia

CPLP: Reforço da cooperação económica "é um caminho muito promissor"

Assine nossa Newsletter