Gene da juventude tem impacto na regeneração do tecido muscular

Gene da juventude tem impacto na regeneração do tecido muscular

Descoberta foi feita por Investigadores do Instituto de Investigação e Inovação em Saúde (i3S) da Universidade do Porto

Investigadores do Instituto de Investigação e Inovação em Saúde (i3S) da Universidade do Porto concluíram que a “ausência do gene da juventude” em células musculares que não se dividem tem “um impacto positivo na regeneração do tecido muscular”.

Em comunicado, o instituto do Porto afirma que a investigação, publicada na revista Cells, mostra que a ausência do gene da juventude, designado FoxM1, tem impacto positivo na regeneração do tecido muscular.

A investigadora Elsa Logarinho, do i3S, já tinha demonstrado num estudo publicado na Nature Communications que o envelhecimento das células da pele está “diretamente relacionado” com a expressão do gene FoxM1.

Citado no comunicado, o investigador Fábio Ferreira esclarece que o intuito da mais recente investigação foi “perceber melhor como é que este gene [FoxM1] controla outras funções celulares num organismo vivo”.

Nesse sentido, os investigadores usaram como modelo animal larvas de peixe-zebra, em particular, as miofibras (células mais diferenciadas e que não se dividem do músculo esquelético).

Com recurso a uma técnica de edição genética, designada CRISPR/Cas9, os investigadores editaram o genoma das miofibras do peixe-zebra, perturbando o gene FoxM1.

Leia mais em Delas

Related posts
Lifestyle

O segredo de beleza que está no… congelador

LifestylePlataforma Sabores

Conheça os benefícios da curcuma para a saúde e beleza

BrasilLifestyle

Júlia Gama é eleita Miss Brasil 2020

Lifestyle

Maquilhagem para brilhar mesmo com máscara de proteção

Assine nossa Newsletter