Estado brasileiro da Bahia decreta recolher obrigatório - Plataforma Media

Estado brasileiro da Bahia decreta recolher obrigatório

O estado brasileiro da Bahia, o quarto mais populoso do país com 15 milhões de habitantes, decretou um recolher obrigatório para conter a propagação do novo coronavírus

A partir de próxima sexta-feira é imposto recolher obrigatório entre as 22:00 (01:00 em Lisboa) e as 05:00 (08:00 em Lisboa).

O governo regional informou que o movimento de pessoas será restrito e determinou o encerramento de serviços não essenciais durante sete dias à noite, com exceção das regiões de Irecé e Jacobina, as únicas no estado que reduziram o número de ocupações de unidades de cuidados intensivos (UCI).

“É uma medida que precisamos de tomar para conter as taxas de infeção e o número de casos ativos, que hoje em dia excedem 15.000. É uma forma de conter o avanço deste número alarmante que, se continuar a crescer, conduzirá ao colapso total do sistema de saúde”, indicou o governador, Rui Costa, numa declaração.

O governador reiterou que o regresso das aulas dependerá da redução dos casos ativos, do número de mortes e da taxa de ocupação da UCI, que é de 74%.

O anúncio coincide com o de Salvador, a capital regional, que na terça-feira suspendeu a vacinação da primeira dose por falta de imunizadores, uma situação que também levou Cuiabá e Rio de Janeiro a tomar a mesma decisão.

As três capitais, contudo, têm stocks da segunda dose para pessoas que já tenham recebido a primeira dose.

O Brasil, um dos epicentros mundiais da pandemia de covid-19, ultrapassou as 240.000 mortes associadas à doença, depois de contabilizar 1.167 óbitos nas últimas 24 horas, enquanto os casos confirmados se aproximam dos 10 milhões.

Segundo dados divulgados pelo Ministério da Saúde, o número total de mortes é agora de 240.940, enquanto o número de pessoas infetadas pelo coronavírus SARS-CoV-2 atingiu 9.921.981, após as autoridades terem confirmado 55.271 novos casos desde segunda-feira.

No mundo, a pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.408.243 mortos, resultantes de mais de 109 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Artigos relacionados
BrasilEconomia

Novas restrições devem aumentar número de desempregados e falências

BrasilSociedade

Covid-19: Instituto brasileiro quer testar em humanos soro feito de plasma de cavalos

BrasilDesporto

'Dói, mas precisamos parar', diz presidente do Santos sobre futebol na pandemia

BrasilPolítica

Bolsonaro fala em 'vírus do pavor' e diz que parece que só morre gente de Covid-19 no Brasil

Assine nossa Newsletter