Combate à seca em Guangdong, Guangxi, Yunnan e Zhejiang

Combate à seca em Guangdong, Guangxi, Yunnan e Zhejiang

Quebras acentuadas na precipitação, e consequente pressão sobre a disponibilidade e distribuição de água, levou os governos das províncias de Guangdong, Guangxi, Yunnan e Zhejiang a adotarem medidas para combater um período de seca que se tem vivido nas quatro regiões entre 2020 e o início deste ano.

Guangdong: média de precipitação na província em 2020 desceu em 17 por cento

Em Guangdong foi adotado um sistema de redireccionamento de águas para assegurar um serviço mínimo de fornecimento em todas as áreas da província. A cidade de Jieyang, por exemplo, redirecionou diariamente cerca de 51 mil metros cúbicos de águas de emergência de cidades vizinhas para que a população, de pouco mais de meio milhão de habitantes, possa manter a atividade nos diferentes setores da atividade económica, assim como um dia-a-dia normal.

De acordo com o Departamento de Águas da Província de Guangdong, em 2020 a província assistiu a uma redução de 17 por cento na respetiva precipitação e, no total das 13 cidades da província registou-se uma redução superior a 20 por cento. Nas cidades de Jieyang e Shantou, que fazem parte do vale do rio Han, os registos indicam uma quebra de 80 por cento da precipitação comparativamente a anteriores períodos de seca semelhantes.

Guangxi: menos 80 por cento de precipitação

A província de Guangxi está a pôr em prática várias medidas de emergência, sobretudo nas zonas mais áridas. O governo local fez deslocar através de camiões-cisterna água para abastecer um reservatório no meio das montanhas na aldeia de Longfeng, Jiangnan, concelho autónomo Yao de Dahua. De acordo com declarações do diretor da estação de reserva de água do concelho, Lu Zheng, há mais de três meses que não chove na região, secando por completo todas as fontes de água. Por isso o governo está há já um mês a organizar entregas de água regulares para garantir as necessidades básicas da população.

Até á primeira semana deste mês (5 de fevereiro) mais de 115 mil pessoas em Nanning, Liuzhou, Guilin, Baise, Hezhou, Hechi e Laibin afirmaram ter dificuldade em conseguir água para consumo pessoal devido à seca. Entre estes, 81 mil precisaram que lhes fosse entregue água. Entre 1 de janeiro e 4 de fevereiro deste ano a precipitação média em Guangxi foi de 4,6 milímetros, menos 80 por cento do que o registado durante igual período em anos anteriores. De acordo com os registos meteorológicos, a 5 de fevereiro 105 concelhos da província sofriam de seca, 49 dos quais estavam no nível considerado grave e 45 no nível médio.

Yunnan: Supervisão meteorológica

O Departamento de Recursos de Águas e o Instituto de Meteorologia da província de Yunnan apontou as regiões de Chuxiong, Yuxi, Qujing, Kunming e Dali como as mais atingidas pela seca este ano. Os responsáveis depois de avaliaram a situação real naquelas zonas estiveram igualmente a discutir as diferentes formas de abordagem para o problema de falta de água na província. Para prevenir situações semelhantes no futuro, as autoridades estão a monitorizar a situação no terreno para poderem vir a fazer previsões com maior precisão de situações de seca, cheias e outros desastres naturais.

Ningbo: Restrições temporárias sobre a distribuição de água

Em Ningbo, o Departamento de Controlo Municipal de Cheias, Tufões e Secas emitiu há uma semana um comunicado a anunciar que racionamento na distribuição de águas às populações entre as 23h00 do passado dia 5 e as 24h00 do próximo dia 20. As principais redes de distribuição de águas em Ningbo são geridas de forma unificada para controlar o total de água usado em áreas urbanas. Com estas medidas passou a ser proibido utilizar água corrente para limpeza das ruas, regas e fontes nos espaços públicos, utilizando-se para essas ações ou água reutilizada ou águas do rio. Departamentos governamentais e instituições públicas devem dar o exemplo na conservação de água, com um consumo diário que não exceda os 80 por cento da média de consumo diário em meses anteriores. Ningbo também tem reforçado o controlo e supervisão do consumo de água para as grandes indústrias. A cidade já deu início a várias medidas de emergência, nomeadamente arrancar com o projeto de construção da ligação entre a fonte de água do reservatório e a barragem Maojiaping, assim como organizando a distribuição de águas de outras centrais para reduzir ao máximo o impacto sobre a vida da população. Além de tirar partido por completo de todos os recursos de água do território, Ningbo vai ainda poder receber água do Reservatório de Qincun, Shaoxing, concelho de Xinchang.

Este artigo está disponível em: 繁體中文

Artigos relacionados
ChinaSociedade

China propõe redução do consumo de energia por unidade do PIB em 3%

ChinaFuturo

Satélite com sensores para deteção de dióxido de carbono

AngolaPolítica

Vice-Presidente angolano na reunião sobre a conservação de mangais

Portugal

Jornalista portuguesa Catarina Canelas (TVI) vence Prémio Rei de Espanha Ambiental

Assine nossa Newsletter