Twitter vai avisar utilizadores sobre falsidades eleitorais - Plataforma Media

Twitter vai avisar utilizadores sobre falsidades eleitorais

O Twitter disse na segunda-feira que vai agir de forma proactiva e alertará os seus utilizadores para possíveis informações erradas, já antecipando os falsos anúncios de resultados nas eleições de 3 de novembro nos EUA.

O serviço de mensagens curtas disse que colocaria avisos no topo dos feeds dos utilizadores, avisando que pode haver atrasos nos resultados eleitorais completos e que as pessoas podem ver “informações enganosas” sobre o voto por correspondência, de acordo com a AFP.

Este “pre-bunking” faz parte de um esforço para se manter à frente de reivindicações infundadas sobre a eleição antes de haver algum resultado oficial, de acordo com o chefe de integridade do site da plataforma Twitter, Yoel Roth.

“Estamos a introduzir ‘pre-bunks’ para algumas das alegações enganosas mais comuns sobre #Election2020”, tweetou Roth. 

“A investigação mostra que estar à frente da desinformação é uma forma poderosa de construir resiliência. Animado para ver esta aplicação da teoria da inoculação na prática.

As plataformas online têm apostado em travar uma onda de anúncios não verificados durante a campanha, incluindo os esforços do Presidente Donald Trump para pôr em causa a legitimidade dos boletins de voto por correspondência.

O Twitter já disse anteriormente que removeria tweets que encorajassem a violência ou apelassem a que as pessoas interferissem nos resultados das eleições ou no funcionamento dos locais de votação.

Também disse que os candidatos ao cargo não podem anunciar uma vitória eleitoral antes de ser anunciado por uma autoridade e que os anúncios prematuros seriam rotulados com um link para a página eleitoral da plataforma.

Este artigo está disponível em: English

Artigos relacionados
MundoPolítica

Trump cumpre ameaça e publica entrevista que será exibida na TV no domingo

MundoPolítica

A duas semanas das eleições, Trump refina ataques a jornalistas

MundoPolítica

Com insultos e ataques, Trump e Biden intensificam campanhas nos estados-chave dos EUA

MundoSociedade

YouTube toma medidas para conter movimento de ultra-direita QAnon nos EUA

Assine nossa Newsletter