Executivo liderado por Nyusi nega envolvimento em torturas em Cabo Delgado - Plataforma Media

Executivo liderado por Nyusi nega envolvimento em torturas em Cabo Delgado

O Ministério da Defesa rebate o relatório da Amnistia Internacional (AI), que acusa o Exército moçambicano de violar os direitos humanos na província de Cabo Delgado

O ministério moçambicano da Defesa nega que as Forças de Defesa e Segurança (FDS) tenham protagonizado atos de tortura e violação dos direitos humanos na província de Cabo Delgado, palco de ataques armados de alegados “jihadistas”.

As justificações surgem depois da acusação foi feita, na passada quarta-feira, pela AI, que disse estar estar na posse de imagens reveladoras nas quais supostos membros das FDS torturam civis.

O porta-voz do Ministério da Defesa moçambicano, Omar Saranga, já desmentiu a AI, referindo que o comunicado da ONG “faz uma abordagem baseada em vídeos e fotografias sem ter em conta a natureza da propaganda dissimulada e reducionista do grupo terrorista que atua em Cabo Delgado, que visa denegrir a imagem das FDS.”

Em entrevista à Deutsche Welle África, o diretor da AI Portugal, Pedro Neto, pede uma investigação independente às suspeitas de prática de tortura e outras violações de direitos humanos no norte de Moçambique e, em particular, na província de Cabo Delgado, ondealegadamente as FDS terão cometido atrocidades como tentativas de decapitação, tortura e outros maus-tratos, bem como o desmembramento de alegados combatentes da oposição, possíveis execuções extrajudiciais e o transporte de um grande número de cadáveres para serem enterrados em valas comuns”.

Este artigo está disponível em: English

Artigos relacionados
MoçambiqueSociedade

Novo relatório da AI descreve violações de direitos humanos em Cabo Delgado

MoçambiqueSociedade

Quase um milhão de pessoas passa fome severa devido aos ataques em Cabo Delgado

MoçambiqueSociedade

Cabo Delgado: 670 mil deslocados e 950 mil enfrentam fome

MoçambiquePolítica

MDN prevê cerca de 60 formadores de “forças especiais” em Moçambique

Assine nossa Newsletter