Não respeito pela quarentena é um grande problema na África do Sul - Plataforma Media

Não respeito pela quarentena é um grande problema na África do Sul

Com um aumento tanto nos casos confirmados quanto nas mortes, as autoridades da província de Cabo Ocidental na África do Sul apontaram quinta-feira um grande problema que muitas pessoas infectadas estão se recusando a ficar em quarentena.

“O Cabo Ocidental está experimentando taxas de rejeição muito altas para ser admitido em instalações de perguntas e respostas (quarentena e isolamento)”, informou a província em uma atualização sobre a resposta da província à pandemia.

Na quinta-feira, o Cabo Ocidental, epicentro do COVID-19 do país, registrou 56.780 casos com 1.652 mortes, em comparação com 118.375 casos e 2.292 mortes em todo o país.

A província possui 4.766 instalações de perguntas e respostas, entre as quais mais de 3.700 ainda estavam vazias, segundo dados oficiais.
“Atualmente, existe capacidade suficiente para quem precisa ficar em quarentena ou isolado”, afirmou a província.

Muitas pessoas infectadas estão se recusando a ficar em quarentena ou isoladas devido a preocupações que variam de não poder beber, fumar ou fazer sexo a preocupações com suas casas e estigma se for divulgado que eles têm o vírus, segundo o governo da província.

Para ajudar a persuadir as pessoas a entrar em quarentena e isolamento, a província aumentou estratégias de comunicação, engajamento com líderes locais, mensagens públicas de personalidades locais e estratégias de mudança de comportamento, de acordo com o governador do Cabo Ocidental, Allan Winde.

Enquanto isso, como a província espera um pico de infecção na última semana de junho, que pode durar de duas a quatro semanas, o governo está construindo uma dúzia de contêineres refrigerados para possíveis mortes em massa devido ao vírus, disseram as autoridades na quinta-feira.

As instalações para fatalidade em massa, que estão sendo construídas perto do Hospital Tygerberg, designado para pacientes com COVID-19 na Cidade do Cabo, poderão armazenar 770 cadáveres de COVID-19, informou o governo da província.
Além disso, as autoridades do Cabo Ocidental estavam preparando vários cemitérios para quase 9.000 pessoas que devem sucumbir à doença.

Artigos relacionados
MundoSociedade

Alerta da Interpol: crime organizado está focado nas vacinas para a Covid 19

PortugalSociedade

Portugal com mais 3384 novos casos e 68 mortes por covid-19

PolíticaPortugal

Diretora-geral da Saúde de Portugal infetada com Covid-19

MundoSociedade

Comediante começa a documentar a sua experiência com Covid-19, mas morre

Assine nossa Newsletter