A nova era para a China já começou - Plataforma Media

A nova era para a China já começou

Já foi concluído o 19º Congresso Nacional do Partido Comunista Chinês. O congresso contou com uma nova reunião do Comité Central e nova lista de nomes para a Comissão Central de Inspeção Disciplinar. Ao mesmo tempo, também contou com um relatório de trabalho do secretário-geral, Xi Jinping, que se prolongou por mais de três horas. O relatório foi descrito como sendo um sinal do avanço da China rumo a uma nova era de modernidade e de socialismo com características chinesas em meados deste século.

Durante o seu discurso, Xi Jinping referiu que até 2020 resolverá o problema da população empobrecida, que o país se tornará numa sociedade próspera, e que depois de realizado o objetivo centenário a China irá entrar numa nova era. Durante o seu relatório, Xi Jinping usou 35 vezes a expressão “nova era” para descrever esta nova etapa, mas o próprio sabe que o problema desta nova era são as contradições entre a procura por uma vida confortável e a desigualdade e falta de desenvolvimento. Por isso, o Presidente assinalou: as exigências da população em relação a legislação, igualdade, segurança e todas essas necessidades são cada vez mais altas. Xi Jinping sabe que hoje em dia a população chinesa está mais rica do que alguma vez na história, e que as necessidades materiais já foram satisfeitas, mas para a frente ainda há mais trabalho a fazer de forma a trazer melhorias a nível da legislação, igualdade e segurança para toda a população.

A atual missão histórica do Partido Comunista Chinês é a de fazer renascer o povo, e é por esse rejuvenescimento que o partido está neste momento a lutar. Antes de completar o segundo objetivo centenário, Xi Jinping dividiu os objetivos em duas fases: primeiro, até 2020, criar uma sociedade próspera; e de 2020 a 2035 concluir a modernização a nível básico. Num período de mais 15 anos, pretende, até 2050, tornar a China num país forte, socialista e moderno. A China não pretende ser só um país grande, mas um país forte. Isto tudo querendo dizer que pretende nessa altura ter ultrapassado a Inglaterra e os Estados Unidos em qualidade de vida a nível material e moral, e ultrapassando-os tanto a nível de ‘hard power’ como de ‘soft power’. Esta é também a razão pela qual o plano de ação futura no relatório de Xi Jinping contém 14 elementos relacionados com este aspeto. Excetuando a continuação do partido como cerne da liderança do país e das forças armadas, as restantes medidas a implementar estão todas ligadas ao ‘soft power’. Tal também serve para ilustrar que, no processo de modernização, mesmo havendo ‘hard power’, construção, e infraestruturas, ainda é preciso os mesmos virem acompanhados de ‘soft power’.

Xi Jinping, como líder vigente do partido, precisa de ter um sistema de governo e poder de governação modernos para ir em busca da modernização da China. Ou seja, a sociedade enriqueceu e prosperou, o país desenvolveu-se e foram criadas as infraestruturas necessárias. No entanto, o sistema administrativo, jurídico, civil e toda a mão de obra necessária para estes serviços terão ou não ‘soft power’ e qualidades suficientes para fazer com que a nova era chinesa se torne numa realidade? É um ponto a ter em atenção.

Foi eleito mais um novo comité de liderança. Uma nova era teve inicio na China.

DAVID Chan 

Este artigo está disponível em: 繁體中文

Assine nossa Newsletter