Chui Sai On em Pequim em tempo de renovação de lideranças

por Arsenio Reis

O Chefe do Executivo de Macau participa amanhã na abertura da reunião anual da Assembleia Popular Nacional. O momento político é de transição em algumas das principais estruturas políticas nacionais.

O Chefe do Executivo de Macau, Chui Sai On, parte hoje para Pequim, onde participa na reunião de abertura da quinta sessão da 12ª Assembleia Popular Nacional (APN), que deverá ficar este ano marcada pela renovação de lideranças nalgumas das principais estruturas do Conselho de Estado e por um relaxamento nos objectivos de crescimento do país, tendo em vista a diminuição dos riscos para a economia.

De acordo com informação do Gabinete de Porta-Voz do Governo, Chui Sai On estará na capital até segunda-feira, assistindo à apresentação do relatório de trabalho do Governo Central pelo primeiro-ministro Li Keqiang, e das metas económicas para 2017, até aqui não divulgadas.

Durante a visita, o Chefe do Executivo de Macau irá também reunir-se com responsáveis do Ministério da Educação e da Administração Nacional do Desporto da China, “com os quais manterá discussões sobre temas de interesse comum”, segundo nota oficial. Na deslocação, Chui Sai On será acompanhado por O Lam, chefe do seu gabinete, Victor Chan, diretor do Gabinete de Comunicação Social, e Daniel Fung, responsável pelo protocolo e assuntos exteriores do Executivo local.

As reuniões nacionais da APN e da Conferência Consultiva Política do Povo Chinês – nas quais Macau se encontra representado por 12 e 29 delegados, respectivamente – são o principal evento político do país, decorrendo habitualmente nas primeiras duas semanas de Março. Este ano, os encontros realizam-se entre 4 e 16 de Março – dia da habitual conferência de imprensa final com o primeiro-ministro do Conselho de Estado.

Este ano, as reuniões ficam marcadas por um movimento de transição nas lideranças, com a nomeação de novos responsáveis para alguns dos principais cargos do país já anunciadas. Guo Shuqing, governador da província de Shandong, foi nomeado para a chefia do regulador bancário, a Comissão de Supervisão Bancária da China, com alguns analistas a preverem alterações na estrutura orgânica do organismo com vista a uma maior concentração da supervisão do sector financeiro. 

Também a chefia da Comissão Nacional do Desenvolvimento e Reforma passa a ser liderada por He Lifeng, até aqui subdiretor do órgão, e o Ministério do Comércio é também assumido pelo seu número dois, Zhong Shan. Um antigo juiz, Zhang Jun, passa a liderar o Ministério da Justiça. Os analistas preveem que o governador do Banco Popular da China, Zhou Xiaochuan, se mantenha no cargo, ainda que tenha já ultrapassado a idade de aposentação aos 69 anos.

O relatório do primeiro-ministro, que será conhecido amanhã, deverá indicar uma meta de crescimento de 6,5 por cento para 2017, com o Governo Central a enfatizar a necessidade de um maior controlo de riscos após um ano de renovada expansão fiscal e despesa com infraestruturas. Na última terça-feira, o Presidente Xi Jinping esteve reunido com o Grupo de Liderança Central dos Assuntos Económicos e Financeiros, afirmando que o país deve “procurar o progresso mantendo ao mesmo tempo a estabilidade”, de acordo com a agência Xinhua. 

Maria Caetano

Pode também interessar

Contate-nos

Meio de comunicação social generalista, com foco na relação entre os Países de Língua Portuguesa e a China

Plataforma Studio

Newsletter

Subscreva a Newsletter Plataforma para se manter a par de tudo!