MOZAL MANTÉM-SE COMO MAIOR EMPRESA DE MOÇAMBIQUE - Plataforma Media

MOZAL MANTÉM-SE COMO MAIOR EMPRESA DE MOÇAMBIQUE

 

A empresa de fundição de alumínio Mozal, de capitais sul-africanos e australianos, voltou a ser considerada a maior emoresa de Moçambique, noi “ranking anual” da consultora KPMG.

A classificação teve em conta o seu volume de negócios, que atingiu cerca de 997 milhões de dólares no ano passado. Embora com um recuo de 6,8% na sua faturação face a 2012, a Mozal, o primeiro grande projeto que Moçambique conheceu durante este século, voltou a liderar o índice das 100 maiores empresas que operam em Moçambique, numa análise que considerou 185 companhias firmas, das quais 35 avaliadas pela primeira vez.

Atrás da empresa de fundição de alumínio da cidade da Matola ficou a estatal Petróleos de Moçambique, S.A (Petromoc), cujo volume de negócios subiu 12%, para 578,4 milhões de dólares, fechando a lista das três maiores empresas a mineira brasileira Vale Moçambique, com 352 milhões de dólares, que praticamente duplicou a sua faturação (42,04%).

Com um volume de negócios de 314 milhões de dólares, a empresa pública Eletricidade de Moçambique (EdM) surge no índice na quarta posição, sendo seguida pela Cervejas de Moçambique, Hidroeléctrica de Cahora Bassa, Motraco, Portos e Caminhos de Ferro de Moçambique, mCel- Moçambique Celular, S.A  e Banco Internacional de Moçambique (do grupo português BCP (199,3 ME).

Segundo a análise da KPMG, entre as 10 maiores empresas e no comparativo do volume de negócios dos anos de 2012 e de 2013, a Vale Moçambique foi a empresa que mais cresceu (42,04%), seguida da Portos e Caminhos de Ferro de Moçambique (24,4%) e da EdM (16,99%).

No sentido inverso, encontram-se a operadora móvel pública mCel (-9,11%) e a Mozal (-6,87%).

O índice das 100 maiores empresas da KPMG é realizado anualmente desde 1999 e baseia-se em dados fornecidos pelas companhias à consultora.

 

Este artigo está disponível em: 繁體中文

Assine nossa Newsletter