CASINOS CONTINUAM EM QUEDA - Plataforma Media

CASINOS CONTINUAM EM QUEDA

 

Novembro pode registar uma queda acima dos 23 por cento nas receitas dos casinos de Macau

 

As receitas dos casinos de Macau continuam em queda em termos homólogos e o mês de novembro pode registar uma queda acima dos 23 por cento.

De acordo com fontes não identificadas das empresas Sands China e Sociedade de Jogos de Macau, citadas pela agência Lusa, “as receitas estão em queda acentuada e podem voltar é normal que voltem este mês a cair acima dos 23%”.

“Estamos numa fase de reajustamento e as condicionantes regionais provocam uma queda homóloga, mas ainda assim os valores anuais continuam muito idênticos aos de 2013, o melhor ano de sempre dos casinos locais”, disse a fonte da Sociedade de Jogos de Macau.

Já a fonte contactada na Sands China salientou, por sua vez, que o mercado de Macau começa a dar sinais de alteração, “reforçando uma dependência cada vez maior do mercado de massas em detrimento do mercado de grandes apostadores”.

“Sentimos esta alteração de forma gradual e todos os operadores irão ajustar os seus programas para isso mesmo, para responder ao que o mercado quer no momento”, disse.

Com dois terços do mês já cumpridos, os dois operadores estimam uma queda face a novembro de 2013 entre os 22 e os 24%.

Em novembro de 2013 os casinos locais registaram receitas brutas de 30.179 milhões de patacas (cerca de 3.738 milhões de dólares).

Na apresentação e votação da proposta de Orçamento para 2015, o Secretário para a Economia e Finanças, Francis Tam, afirmou que no cálculo das receitas da Administração foi adotada uma postura conservadora em relação à verba a arrecadar com os impostos diretos cobrados ao setor do jogo.

“Em termos reais irá registar-se um decréscimo significativo de 30 mil milhões de patacas para 27,5 mil milhões de patacas (de três mil milhões de euros para 3,3 mil milhões de dólares)”, disse Francis Tam, numa previsão da média mensal das receitas de jogo.

 

Este artigo está disponível em: 繁體中文

Assine nossa Newsletter