RECEITAS CRESCERAM NOS PRIMEIROS NOVE MESES - Plataforma Media

RECEITAS CRESCERAM NOS PRIMEIROS NOVE MESES

 

Os impostos diretos continuam como a grande referência no rendimento da RAEM

 

A Administração de Macau gastou entre janeiro e setembro cerca de 34% do total de receitas arrecadadas, indicam os dados da execução orçamental dos três primeiros trimestres, que registam um saldo positivo de mais de 10 mil milhões de dólares.

De acordo com os dados disponíveis no portal dos Serviços de Finanças de Macau, entre janeiro e setembro a administração registou uma receita global de 120.109,7 milhões de patacas (15.200 milhões de dólares), mais 6% do que nos primeiros nove meses de 2013 e correspondente a 85% do previsto para 2014.

Já as receitas correntes, estimadas em 119.575,6 milhões de patacas (15.204 milhões de dólares) registam um crescimento de 9% e estão executadas em 85,3% no corrente ano.

Entre as receitas correntes, os impostos diretos constituem-se como a grande “fonte” de rendimento da Administração e totalizavam 104.780,7 milhões de patacas (13.320 milhões de dólares), a subirem em termos homólogos 8,8% e executados em 84,8% do previsto para os 12 meses do corrente ano.

Com um encaixe de 101.132,3 milhões de patacas (12.850 milhões de dólares), os impostos diretos sobre o setor do jogo, no valor de 35% da receita bruta apurada pelos operadores, estavam em alta de 9,1% com uma execução de 85,8% e valiam 84,19% da receita global da Administração.

A receita fiscal do jogo não reflete exatamente a evolução das receitas brutas do setor, dado serem pagas no mês seguinte ao mês de referência, ou seja, para efeitos de orçamento, o encaixe é feito de dezembro até novembro do ano seguinte.

No campo da despesa, a Administração apresenta um registo global de 40.813,8 milhões de patacas (5.190 milhões de dólares), mesmo assim mais 14,3% do que no mesmo período de 2013 e a traduzir 52,6% do previsto para 2014.

As receitas correntes – no valor de 38.395,8 milhões de patacas (4.834 milhões de dólares) – estavam a subir 16,4% e refletiam uma execução de 62,2% do previsto.

Apesar do aumento da despesa, os Investimentos do Plano (PIDDA) – orçamentados em 14.801,4 milhões de patacas (1.480 milhões de euros) – estavam em queda de 19% e cumpridos em apenas 11,3% com uma despesa efetiva de 1.670,8 milhões de patacas (167 milhões de euros).

Entre receitas e despesas, a administração de Macau registou um saldo positivo de 79.295,8 milhões de patacas, mais 2,2% do que nos primeiros nove meses de 2013 e a traduzirem 124,7% do previsto para 2014.

 

Este artigo está disponível em: 繁體中文

Assine nossa Newsletter