FESTA DE MEIO DO OUTONO ENCHEU A CIDADE - Plataforma Media

FESTA DE MEIO DO OUTONO ENCHEU A CIDADE

Mais de milhão e meio de pessoas cruzaram as fronteiras de Macau durante o período de feriados da festa do Meio de Outono, conhecida como do Bolo Lunar, uma das mais importantes efemérides da cultura chinesa, celebrado na terça-feira.

Entre sábado e terça-feira, o movimento fronteiriço foi de 1,58 milhões de pessoas em todos os postos fronteiriços, sendo que apenas nas Portas do Cerco – que ligam por terra Macau à China continental – registaram-se 583.075 entradas e 609.471 saídas, ou 75,1% do total de movimentos.

No mesmo período, a Polícia de Segurança Pública registou 493.812 visitantes e turistas, mais 1,93% do que no período festivo homólogo de 2013.

A festa, celebrada há mais de dois mil anos, tem lugar no 15.º dia da oitava Lua do calendário lunar chinês e é uma das mais tradicionais cerimónias familiares dos chineses, que pretende, segundo os rituais milenares agrícolas, comemorar as boas colheitas pedidas durante a Festa da Primavera, e é uma das poucas festividades em que os rituais são cumpridos por mulheres.

Ao anoitecer, as mulheres colocam ao ar livre altares com oferendas aos deuses, aguardando que a lua atinja o seu ponto mais alto para começarem as rezas.

Sob a luz da lua cheia, as famílias dirigem-se às praias, jardins e locais elevados para a contemplarem enquanto fazem piqueniques em que o bolo lunar e o chá são a base da alimentação.

As lanternas das mais variadas formas e cores dão um colorido diferente à festa e normalmente trazem enigmas pendurados para serem decifrados em família.

Os bolos lunares ou Yuan Xiao – vendidos em caixas especiais e com ingredientes como sementes de lótus, pasta de feijão vermelho, nozes, sésamo, amêndoas, amendoins, sementes de melancia, gema salgada do ovo de pato, apresentam diferentes sabores de região para região, sendo a sul, onde Macau está inserido, mais doces.

Diz a lenda que os bolos tiveram um papel importante no derrube da dinastia mongol, que governava o Império do Meio, e na vitória Ming, já que eram usados pelos rebeldes para enviar mensagens a apelar ao levantamento popular.

 

Este artigo está disponível em: 繁體中文

Assine nossa Newsletter