GUINEENSES TENTAM ENTRAR EM ESPANHA - Plataforma Media

GUINEENSES TENTAM ENTRAR EM ESPANHA

 

Quarenta e cinco cidadãos da Guiné-Bissau foram detidos na cidade espanhola de Melilla, suspeitos de tentativa de imigração ilegal no território espanhol, seguindi a Agência Noticiosa da Guiné (ANG), citando um jornalista guineense no local.

De acordo com o jornalista, os clandestinos foram apanhados no domingo quando tentavam entrar em Espanha, encontrando-se no centro de acolhimento de imigrantes ilegais em Melilla, integrados num grupo de 800 africanos. Os clandestinos foram aliciados por uma rede de imigração ilegal que os levou da Guiné-Bissau para o Senegal e de lá para a Mauritânia e mais tarde para Marrocos de onde seguem, de barco, para Melilla, contou ainda o jornalista.

Na viagem ainda passaram pela Líbia, onde alguns clandestinos teriam sido presos durante sete meses, contou um dos guineenses agora apanhados em Melilla. Alguns morreram durante a travessia do deserto entre a Mauritânia e Marrocos devido a desidratação, contaram os clandestinos.

Os guineenses terão explicado às autoridades espanholas sobre a existência de uma rede de angariação de imigrantes clandestinos, que cobra entre um a dois milhões de francos CFA (entre 1.900 e 3.800 euros) para a viagem de Africa até Espanha.

O jornalista relatou que os clandestinos denunciaram ainda perante as autoridades espanholas situações em que as mulheres foram obrigadas “pelos traficantes” a se prostituírem.

O grupo, incluindo os 45 guineenses, aguarda pela decisão das autoridades espanholas, contou ainda o jornalista citado pela ANG.

 

Este artigo está disponível em: 繁體中文

Assine nossa Newsletter