Início Notícias Menos turistas mas em igual proporção

Menos turistas mas em igual proporção

Macau recuperou cerca de 89 por cento do movimento turístico registado até ao final de novembro de 2019. A percentagem de turistas nacionais e estrangeiros manteve-se praticamente inalterada. Apenas das Filipinas, Indonésia e Índia se observaram maior número de entradas face ao ano que antecede a pandemia. Hong Kong esteve perto

Guilherme Rego

Depois de três anos condicionado pelas restrições pandémicas, o setor do turismo de Macau voltou a funcionar sem entraves. O primeiro ano pós-pandemia foi francamente positivo, com uma recuperação de 88,7 por cento do volume turístico registado até final de novembro de 2019. Significa que bastava à RAEM atrair mais 326.5 mil visitantes para recuperar na totalidade.

Foram 1.770.861 os visitantes que chegaram da China Continental, correspondendo a uma recuperação de 87 por cento. Hong Kong esteve muito perto da recuperação total, chegando aos 97 por cento, com Taiwan a ter uma recuperação um pouco mais lenta, dado que ainda só está a 66 por cento. A Grande China representou cerca de 82 por cento do volume total de visitantes, algo que se mantém praticamente inalterado ao olhar para o período homólogo de 2019.

Significa que a percentagem de turistas estrangeiros também foi igual a 2019, contribuindo em cerca de 8 por cento para as entradas na RAEM. Entre os mercados estrangeiros, só três cresceram face a 2019, sendo estes as Filipinas (117 por cento), Indonésia (125 por cento) e Índia (142 por cento). Aquele que era o maior mercado turístico para Macau fora da Grande China, a Coreia do Sul, está nos 70 por cento.

Fronteiras mais utilizadas

A grande maioria dos visitantes chegam por via terrestre (80 por cento), dada a proximidade com o interior da China e Hong Kong, os dois maiores mercados para Macau. Só estes dois contabilizaram 94 por cento das entradas pelos postos fronteiriços terrestres – algo que, mais uma vez, mantem-se inalterado face a 2019.

As entradas por vias marítimas chegaram a 74 por cento dos números atingidos no período homólogo de 2019. Só 7 por cento dos visitantes optou por estas vias em 2023.

O Aeroporto Internacional de Macau é o que tem tido mais dificuldades em recuperar o volume anterior de passageiros, com uma recuperação de apenas 68 por cento. Só 8 por cento dos visitantes chegou à RAEM através do aeroporto.

Contate-nos

Meio de comunicação social generalista, com foco na relação entre os Países de Língua Portuguesa e a China

Plataforma Studio

Newsletter

Subscreva a Newsletter Plataforma para se manter a par de tudo!