Angola lança privatização de 51% da Sociedade Gestora de Aeroportos

por Mei Mei Wong

O país lusófono irá colocar 51% da Sociedade Gestora de Aeroportos, S.A. na esfera privada, processo que irá ser liderado pela ministra angolana das Finanças, Vera Daves de Sousa, de acordo com um despacho do Presidente João Lourenço publicado pelo diário oficial angolano.

O despacho, assinado pelo Presidente angolano no passado dia 7, não determina qualquer prazo para a conclusão da privatização da maioria do capital da SGA, que será feita mediante concurso limitado por qualificação prévia.

O modelo de alienação de uma participação maioritária na concessionária aeroportuária angolana a “investidores privados, preferencialmente operadores internacionais de aeroportos com experiência consolidada”, consta da Estratégia Global para o Sistema Aeroportuário (EGSA) angolano aprovada em 2020.

Promover o crescimento do setor da aviação civil no país, perseguindo o objetivo de “transformar Angola num importante `hub` na região da África subsaariana e o investimento direto estrangeiro” no sistema aeroportuário é um dos objetivos expressos da EGSA.

Leia também: Financiados mais de mil projectos do Programa de Apoio ao Crédito em Angola

A estratégia para o sistema aeroportuário cobre os diferentes segmentos de aeroportos e aeródromos do país, incluindo modelos de negócio, investimentos e parcerias, de acordo com cada um dos 18 aeroportos/aeródromos geridos pela SGA.

No quadro desta segmentação, a infraestrutura de Luanda, designada como “Aeroporto Hub/Gateway”, cujo novo aeroporto internacional deverá ser inaugurado no próximo ano, é a principal porta de entrada do país, posicionando-se como o centro de operações doméstico e internacional para a região sul e centro africana.

Pode também interessar

Contate-nos

Meio de comunicação social generalista, com foco na relação entre os Países de Língua Portuguesa e a China

Plataforma Studio

Newsletter

Subscreva a Newsletter Plataforma para se manter a par de tudo!