DGS esclarece que intervalo entre doses foi encurtado para 150 dias

DGS esclarece que intervalo entre doses foi encurtado para 150 dias

A diretora-geral da Saúde esclareceu ontem que o intervalo entre a segunda e a terceira dose da vacina contra a covid-19 foi encurtado para um mínimo de 150 dias, equivalente a cinco meses, em vez dos atuais 180

A alteração do intervalo entre as duas doses foi hoje anunciada por Graça Freitas, que na sua intervenção inicial afirmou que esse período se encontra “atualmente entre os 150 e os 180 dias”, ou seja, entre cinco e seis meses.

Posteriormente, em declarações à agência Lusa, a responsável esclareceu que até agora só era possível receber a dose de reforço para maiores de 65 anos 180 dias após a dose anterior, sendo que agora esse prazo é reduzido, podendo variar entre os 150 e os 180 dias.

A covid-19 provocou pelo menos 5.122.682 mortes em todo o mundo, entre mais de 254,95 milhões infeções pelo novo coronavírus registadas desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse.

Em Portugal, desde março de 2020, morreram 18.295 pessoas e foram contabilizados 1.115.080 casos de infeção, segundo dados da Direção-Geral da Saúde.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China, e atualmente com variantes identificadas em vários países.

Related posts
MoçambiquePolítica

MNE garante voos de repatriamento de e para Moçambique

PolíticaPortugal

PR considera novas medidas contra a pandemia "muito equilibradas"

PortugalSociedade

Número de mortos registado ontem é o mais alto desde 26 de agosto

MacauSociedade

Terceira dose da vacina a partir do dia 9 de Novembro

Assine nossa Newsletter