Embaixador deixará Guiné-Bissau após denúncias de racismo da esposa

Embaixador deixará Guiné-Bissau após denúncias apontarem racismo e ingerência de esposa

O embaixador do Brasil na Guiné-Bissau, Fábio Franco, deixará o posto no país africano depois de uma investigação do Itamaraty mostrar que sua mulher interferia nas atividades da representação diplomática, mesmo sem ter vínculo formal com o Ministério das Relações Exteriores.

De acordo com relatos colhidos pela Folha, Shirley Carvalhêdo Franco tinha ingerência na rotina da embaixada, chegando a ocupar uma sala no local. Os entrevistados afirmam ainda que ela praticava assédio moral e proferia ofensas racistas contra guineenses que trabalham para a missão diplomática.

A reportagem ouviu sete pessoas, brasileiras e locais, de diferentes níveis hierárquicos e vínculos variados com a representação. Eles falaram em condição de anonimato, pois temem retaliações. Shirley teria chamado os guineenses de “macacos” e dito que eles “só servem para fazer sexo, não para trabalhar”.

Leia mais em Folha de S. Paulo

Assine nossa Newsletter