Japão promete 8,6 mil milhões de euros para as emissões zero na Ásia

Japão promete 8,6 mil milhões de euros para as emissões zero na Ásia

O primeiro-ministro japonês, Fumio Kishida, prometeu fundos 8,64 mil milhões de euros ao longo de cinco anos para promover a transição energética na Ásia, durante a cimeira climática COP26 em Glasgow

O Japão prometeu biliões de euros para as emissões zero na Ásia. “O Japão vai avançar com os esforços no sentido de uma emissão líquida zero na Ásia, o motor do crescimento económico global”, disse Kishida no segundo dia da COP26 em Glasgow, de acordo com a agência noticiosa local Kyodo.

“Quero transmitir ao mundo a firme determinação do Japão em exercer a sua liderança rumo a zero emissões na Ásia”, disse, aos meios de comunicação locais horas antes da sua chegada à cimeira, naquela que é a primeira viagem oficial do primeiro-ministro japonês após ter sido reeleito nas eleições gerais de domingo.

O fundo terá como objetivo promover uma via carbono zero na Ásia, de acordo com a declaração do primeiro-ministro japonês.

Esta ajuda somar-se-ia aos 60 mil milhões de dólares (51,806 mil milhões de euros) anunciados pelo Japão em junho, aproximando-a do compromisso dos países desenvolvidos de mobilizar um total de 100 mil milhões de dólares por ano (86,341 mil milhões de euros) em financiamento climático, um dos pontos-chave das Nações Unidas na luta contra as alterações climáticas.

No seu discurso no segundo dia da COP26, Kishida reafirmou também o compromisso assumido pelo Japão no ano passado no sentido da neutralidade de carbono até 2050 e da redução de 46% das emissões de gases com efeito de estufa até 2030, a partir dos níveis de 2013.

“O Japão continuará a esforçar-se para atingir o objetivo de reduzir as suas emissões em 50%”, afirmou.

A terceira maior economia do mundo continua fortemente dependente do carvão e é o quinto maior emissor mundial de emissões de CO2, atrás da China, Estados Unidos, Índia e Rússia (ou sexto incluindo a União Europeia como bloco), de acordo com dados da plataforma internacional Global Carbon Atlas.

Durante a cimeira, Kishida realizou uma breve reunião com o Presidente dos EUA Joe Biden.

Kishida e Biden reafirmaram a sua intenção de manter uma estreita cooperação na região Indo-Pacífico face a uma China mais assertiva, de acordo com os meios de comunicação locais.

Esta é a primeira reunião cara a cara entre os dois líderes após a tomada de posse do líder japonês a 04 de outubro.

Related posts
MundoSociedade

EUA é maior poluidor com plásticos do mundo

BrasilPolítica

MP do Brasil quer retirada de extratores de ouro na Amazónia

Brasil

Brasil usará "força total" para reduzir desflorestação após acusações

Mundo

Após COP26, mundo deve adotar ações rápidas para evitar catástrofe

Assine nossa Newsletter