As mensagens que Jorge Sampaio em visitas oficiais a Macau

As mensagens que Jorge Sampaio em visitas oficiais a Macau

A preservação da vida das gentes locais, garantia do Estado de Direito e continuidade do bilinguismo nas instituições públicas. Estas foram algumas das mensagens de Sampaio nas visitas oficiais a Macau antes de 1999

As principais mensagens de Sampaio em visitas a Macau estão presentes na documentação dos arquivos da Presidência da República, que traça uma rota de memórias dos momentos antes do retorno de Macau para a China. Em Fevereiro de 1997, na cerimónia de inauguração do edifício dos tribunais de primeira instância, Sampaio destacou a importância da Declaração Conjunta, que estabeleceu “a preservação da maneira de viver [do território], servida por um largo grau de autonomia das suas instituições, nas quais se compreende o poder judicial independente”.

Sampaio referia que é nos tribunais que “sempre residirá a última garantia de que Macau é um território submetido ao Estado de Direito e aos inalienáveis princípios que o integram”. Era importante “dotar os tribunais dos meios adequados para o bilinguismo ser uma realidade integral”.

O Presidente da República alertava, na mesma ocasião, para a importância do respeito dos princípios consagrados “para que os tribunais de Macau possam ser, agora e no futuro, os garantes da aplicação da justiça e o lugar seguro em que sempre encontrarão protecção os direitos, liberdades e garantias dos residentes neste território”.

Uma AL multicultural

Também em Fevereiro de 1997, Jorge Sampaio falou numa sessão solene na Assembleia Legislativa (AL), onde lembrou que a Declaração Conjunta acarretava “a prudência de quem sabe não poder comandar todo o destino de toda a História”, mas que tinha um “inequívoco apreço pelos valores essenciais desta comunidade”. O limite temporal de 50 anos estabelecido pelo documento, assinado dez anos antes por Portugal e China, deixava “caminho aberto, transcorrido tal período, para a vontade dos homens e para as oportunidades do tempo”.

Leia mais em Hoje Macau

Este artigo está disponível em: 繁體中文

Related posts
ChinaPolítica

Xi Jinping expressa condolências pela morte de Sampaio

China

Novo embaixador alemão na China morre aos 54 anos

Cultura

Filósofo francês Jean-Luc Nancy morre aos 81 anos

AngolaPortugal

Presidente de Angola lamenta morte de empresário João Macedo

Assine nossa Newsletter